EUA pode enviar tropas à Ucrânia para proteger a embaixada reaberta: Gen. Milley

Anteriormente Joe Biden garantiu que nenhuma força dos EUA seria enviada à Ucrânia

Por Naveen Athrappully 

Planos para enviar as forças americanas de volta para a capital ucraniana de Kiev estão sendo considerados para a proteção da embaixada dos EUA, disse o presidente do Estado-Maior Conjunto, Gen. Mark Milley, para repórteres no Pentágono, na segunda-feira.

“Algumas das coisas que podem ter saído na mídia são esforços de planejamento que estão em andamento em um nível relativamente baixo”, disse Milley a repórteres, possivelmente se referindo a uma reportagem do Wall Street Journal.

O relatório de 23 de maio falou sobre o ato de equilíbrio diplomático dos funcionários da Casa Branca para enviar tropas para proteger a embaixada recém-reaberta durante os tempos de guerra, por um lado arriscando a segurança do pessoal ao mesmo tempo que evita a escalada do conflito.

A Embaixada dos EUA foi fechada 10 dias antes da invasão russa e foi reaberta em 19 de maio após um fechamento de três meses. Funcionários da embaixada trabalharam na Polônia nos dois primeiros meses da guerra, mas a Agente Diplomática Kristina Kvien retornou ao país em 2 de maio.

Outros países como Reino Unido, França e Alemanha reabriram embaixadas depois que as forças russas concentraram sua ofensiva nas partes orientais do país.

Se os militares fossem mobilizados, seriam forças especiais para a defesa e segurança da embaixada que fica ao alcance dos mísseis russos. Anteriormente, o presidente Joe Biden garantiu que nenhuma força dos EUA seria enviada para a Ucrânia.

As propostas para o envio de tropas “ainda não chegaram ao [secretário de Defesa Lloyd Austin] ou a mim mesmo, para refinamento dos cursos de ação e do que é necessário”, disse Milley. Qualquer envio de tropas americanas exigiria uma decisão presidencial.

“Estamos muito longe de qualquer coisa assim. Ainda estamos desenvolvendo cursos de ação, e por enquanto nada disso foi apresentado ao secretário”, acrescentou Milley.

O governo Biden reabriu a Embaixada dos EUA em Kiev em 18 de maio, depois de fechá-la antes da invasão russa da Ucrânia em 24 de fevereiro.

As forças russas continuam a atacar Kiev de forma intermitente. Em 28 de abril, dois mísseis russos atingiram o distrito central de Shevchenko da cidade e os andares inferiores de um prédio residencial de 25 andares, ferindo pelo menos 10 pessoas, segundo relatos das forças ucranianas.

Os ataques aconteceram durante uma visita à Ucrânia do chefe das Nações Unidas.

Há preocupações de que o reforço da presença de tropas possa provocar as forças russas a atacar a capital novamente e causar danos aos funcionários que trabalham na embaixada. Atualmente, funcionários de segurança diplomática do Departamento de Estado fornecem proteção ao pessoal da embaixada.

Bridget Brink foi confirmada pelo Senado como a nova embaixadora dos EUA na Ucrânia. Ela ainda não chegou ao país.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas