EUA não vão ‘deixar a Austrália sozinha’ frente a coerção de Pequim, diz Blinken

Por Caden Pearson

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse na quinta-feira que o país não deixará a Austrália sozinha em face da coerção econômica de Pequim, alertando que tais táticas contra um aliado dificultarão os laços entre os Estados Unidos e a China.

“Reiterei que os Estados Unidos não deixarão a Austrália sozinha em campo ou talvez devam dizer sozinha em campo em face da coerção econômica da China ” , disse Blinken a repórteres. “Isso é o que os aliados fazem. Cobrimos as costas uns dos outros para poder enfrentar as ameaças e os desafios a partir de uma posição de força coletiva ”.

Os Estados Unidos criticaram repetidamente os esforços de Pequim para coagir a Austrália com sanções comerciais sobre produtos que variam de carne bovina a vinho. “Essas ações dirigidas aos nossos parceiros e aliados mais próximos impedirão as melhorias em nosso próprio relacionamento com a China”, disse Blinken.

O secretário descreveu a aliança EUA-Austrália como um “compromisso inabalável” que tem sido “uma âncora para a paz, segurança e estabilidade no Indo-Pacífico por décadas”.

Os laços entre a Austrália e a China azedaram nos últimos cinco anos, quando Canberra começou a implementar medidas para proteger seus interesses nacionais em face da crescente interferência de Pequim no ambiente político doméstico da Austrália. Isso inclui um escândalo de pagamentos feitos a um ex-senador federal e uma suposta conspiração para colocar um espião na Câmara do Parlamento.

As tensões sofreram uma reviravolta no ano passado, depois que a Austrália pediu uma investigação sobre as origens do vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) , comumente conhecido como o novo coronavírus.

Desde o ano passado, as contrapartes chinesas de políticos australianos não se comunicaram por telefone para negociações em nível ministerial e, na semana passada, Pequim suspendeu todas as atividades no âmbito de um diálogo econômico bilateral com a Austrália.

A chanceler australiana, Marise Payne, fala à imprensa (Lillian Suwanrumpha / AFP via Getty Images)

A ministra australiana das Relações Exteriores, Marise Payne, que deu a coletiva de imprensa conjunta com Blinken, disse que “a Austrália busca um relacionamento construtivo com a China”. Por sua vez, Payne observou que a Austrália agradece o apoio de Washington enquanto Canberra resolve seus problemas com Pequim.

“Mas não comprometeremos nossa segurança nacional ou nossa soberania e continuaremos a agir para protegê-la”, disse ela.

Na conferência de imprensa conjunta, o Secretário de Estado dos EUA e o Ministro das Relações Exteriores da Austrália também abordaram os direitos humanos na China.

Quando questionado sobre a possibilidade de um boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim em 2022, Blinken disse que embora não fosse um assunto de discussão com Payne, os Estados Unidos ouviram as preocupações de todos e de funcionários, nos próximos meses, falará com aliados e parceiros sobre suas opiniões sobre as Olimpíadas.

Siga Caden no Twitter: @cadenpearson

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas