EUA fornecem mais US$ 1 bilhão em armas à Ucrânia

Líderes russos já emitiram alertas depois que os Estados Unidos enviaram armas para a Ucrânia

Por Jack Phillips 

O presidente Joe Biden anunciou na quarta-feira que os Estados Unidos fornecerão ainda mais ajuda à Ucrânia, com sistemas avançados de foguetes, artilharia, e defesas costeiras.

Biden disse que contou ao presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy sobre o desenvolvimento enquanto os dois conversavam por telefone, segundo um comunicado divulgado pela Casa Branca.

“Informei o presidente Zelenskyy que os Estados Unidos estão fornecendo mais US$ 1 bilhão em assistência de segurança para a Ucrânia, incluindo artilharia adicional e armas de defesa costeira, bem como munição para a artilharia e sistemas de foguetes avançados que os ucranianos precisam para apoiar suas operações defensivas na região de Donbass”, afirmou Biden.

Anteriormente, os Estados Unidos aprovaram mais de US $40 bilhões em ajuda à Ucrânia desde o início do conflito com a Rússia, em 24 de fevereiro. Zelensky pediu repetidamente aos Estados Unidos e outros países ocidentais que forneçam armas, munições e outras formas de ajuda.

Os Estados Unidos também enviaram recentemente à Ucrânia sistemas avançados de foguetes de longo alcance, alegando que tais armas não serão usadas para atingir alvos dentro da Rússia.

Outros US $225 milhões serão enviados para ajuda humanitária, como “água potável, suprimentos médicos essenciais e assistência médica, comida, abrigo e dinheiro para as famílias comprarem itens essenciais”, acrescentou a Casa Branca em seu comunicado na quarta-feira. “Também discutimos os esforços do secretário [Lloyd] Austin em Bruxelas hoje para coordenar o apoio internacional adicional às forças armadas ucranianas”, disse o comunicado.

Austin falou em Bruxelas, na Bélgica, esta semana e disse que a Ucrânia e os Estados Unidos estão “trabalhando em sintonia para atender aos pedidos da Ucrânia por novas capacidades, especialmente sua necessidade de fogo de longo alcance, blindagem e defesa costeira”.

“Devemos intensificar nosso compromisso compartilhado com a autodefesa da Ucrânia e devemos nos esforçar ainda mais para garantir que a Ucrânia possa se defender, seus cidadãos e seu território”, disse Austin, segundo relatos. “Mas não se engane, a invasão não provocada e indefensável da Rússia não é apenas um perigo para a Ucrânia. É uma ameaça à segurança europeia e uma afronta à ordem internacional baseada em regras que protege a todos nós”.

Os principais líderes russos já emitiram alertas depois que os Estados Unidos enviaram armas para a Ucrânia. No início de junho, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que Moscou acredita que “os Estados Unidos estão deliberadamente e diligentemente colocando combustível no fogo” enviando mais armas para Kiev. Quando questionado sobre a resposta da Rússia, ele disse a repórteres: “Não vamos falar sobre os piores cenários”.

Segundo um comunicado de imprensa do Departamento de Defesa na quarta-feira, os Estados Unidos fornecerão 18 obuses, 36.000 cartuchos de munição de 155 mm, 18 veículos táticos para os obuses, mais munição para sistemas de foguetes de artilharia, peças de reposição e quatro veículos de recuperação. Os Estados Unidos também fornecerão dois sistemas de defesa costeira antinavio Harpoon, rádios, mira térmica e óptica de visão noturna, treinamento, manutenção, transporte e outros custos.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas