EUA denuncia na ONU o genocídio do regime chinês contra as minorias em Xinjiang

Por Agência EFE

Os Estados Unidos denunciaram nesta quarta-feira na ONU os supostos abusos da China contra uigures e outras minorias na província de Xinjiang e prometeram trabalhar para que Pequim pare com esse “genocídio”.

“Continuaremos nos levantando e falando abertamente até que o governo chinês pare seus crimes contra a humanidade e o genocídio dos uigures e outras minorias em Xinjiang”, disse a embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, no início de um evento organizado pelos Estados Unidos e alguns de seus aliados, juntamente com organizações de direitos humanos, sobre a situação nesta área da China.

Thomas-Greenfield assegurou que seu país continuará a trabalhar junto com seus aliados e parceiros “até que o governo da China respeite os direitos humanos universais de todo o seu povo”.

Em março passado, o governo de Joe Biden já acusou a China de “genocídio” e “crimes contra a humanidade” contra uigures e outras minorias muçulmanas na província de Xinjiang, no noroeste do país, em seu relatório anual sobre Direitos Humanos, o primeiro sob este governo, mantendo já uma linha marcada pelo Executivo de Donald Trump.

O diplomata norte-americano denunciou hoje que em Xinjiang “pessoas estão sendo torturadas”, “esterilizando mulheres à força” e apontou a existência de relatos confiáveis ​​de que muitos uigures e pessoas de outras minorias estão sendo submetidas a trabalhos forçados pelo Estado.

“Hoje ouvimos e continuaremos a ouvir como os direitos dos uigures e outras minorias étnicas em Xinjiang estão sendo abusados ​​e violados ao extremo”, insistiu Thomas-Greenfield.

O evento, liderado pelos Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha, deve incluir ativistas de direitos humanos, especialistas e representantes de organizações como a Human Rights Watch (HRW) e a Amnistia Internacional, que denunciaram repetidamente os alegados abusos. Xinjiang.

Antes do início da reunião, a HRW defendeu em comunicado que os estados membros da ONU deveriam promover uma investigação independente sobre os alegados crimes contra as minorias na província chinesa .

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas