EUA convocam embaixador chinês por alegações de que surto de coronavírus de Wuhan veio dos EUA

“Disseminar teorias da conspiração é perigoso e ridículo. Queríamos avisar o governo de que não o toleraríamos para o bem do povo chinês e do mundo”

Por Eva Fu

O Departamento de Estado dos EUA convocou o embaixador da China nos Estados Unidos em 13 de março, depois que uma alta autoridade de Pequim sugeriu que os militares dos EUA pudessem ser responsáveis ​​pela introdução do coronavírus mortal em Wuhan, marco zero da pandemia.

A reunião ocorreu após um vice-diretor do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, em uma série de postagens no Twitter – uma plataforma inacessível na China – acusarem os Estados Unidos de não serem transparentes sobre o que sabem sobre a doença, ao mesmo tempo em que pressionavam uma teoria da conspiração infundada de que o surto se originou nos Estados Unidos.

“Quando o paciente zero começou nos EUA? Quantas pessoas foram infectadas? Quais são os nomes dos hospitais? ” Zhao escreveu em chinês e inglês.

Ele sugeriu que “poderia ser o exército americano que levou a epidemia a Wuhan”.

Seja transparente! Torne públicos seus dados! Os EUA nos devem uma explicação”, acrescentou.

O secretário de Estado adjunto do Departamento de Assuntos do Leste Asiático e do Pacífico, David Stillwell, convocou o embaixador da China, Cui Tiankai, para fazer uma “representação severa”, informou a Reuters citando um funcionário do departamento de estado sem nome. O funcionário observou que Cui era “muito defensivo” e que a China estava tentando evitar críticas sobre seu papel em “iniciar uma pandemia global e não contar ao mundo”.

“Disseminar teorias da conspiração é perigoso e ridículo. Queríamos avisar o governo de que não o toleraríamos para o bem do povo chinês e do mundo”, disse o funcionário à Reuters.

“O lado norte-americano observou como a história de Pequim sobre o que se tornou uma pandemia global está se afastando do mercado Wuhan Huanan desde meados de janeiro, indicando que Pequim está tentando evitar a responsabilidade pelo surto”, disse um porta-voz do departamento de estado ao Epoch Times em um e-mail no sábado, referindo-se ao mercado de frutos do mar e animais no epicentro de coronavírus de Wuhan, que as autoridades chinesas inicialmente citaram como a fonte potencial do surto devastador.

“Os EUA não estão interessados ​​em atribuir culpas, mas pedem ao governo chinês que ofereça acesso total e transparência, a fim de evitar mais perdas de vidas dentro e fora da RPC [República Popular da China]”, acrescentou o porta-voz.

Embora o vírus tenha surgido pela primeira vez na cidade de Wuhan, no centro da China, no início de dezembro, Zhao e várias outras autoridades chinesas têm pressionado a teoria de que a origem do vírus não é clara e pode ter vindo dos Estados Unidos.

Questionado sobre o tweet de Zhao em uma entrevista coletiva em 13 de março, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China Geng Shuang insistiu que havia “opiniões diferentes” sobre o assunto e que “é uma questão de ciência”.

Enquanto isso, a mídia estatal chinesa também acusa os Estados Unidos de difamar a China e elogia a capacidade de Pequim de lidar com o surto.

wuhan virus
Um chinês usa uma máscara protetora enquanto caminha por uma faixa de propaganda relacionada ao surto de coronavírus em um edifício residencial em Pequim, China, em 21 de fevereiro de 2020 (Kevin Frayer / Getty Images)

Por exemplo, um artigo de 5 de março sobre a mídia estatal China Daily descreveu a resposta ao surto do regime como “uma história de orgulho”.

Em um editorial do Global Times, uma agência estatal radical, intitulado “Culpando a China pela detestável falha no controle de vírus”, a agência alegou que “até agora, mesmo o mundo científico não tem nenhuma conclusão de onde o vírus veio”.

“Houve uma campanha repetida e implacável contra os Estados Unidos e tem sido maliciosa, irresponsável, falsa, é claro, e perigosa”, disse Gordon Chang, especialista em China e autor de “The Coming Collapse of China”, ao Epoch Times em recente entrevista.

“Toda essa noção de que a China é benéfica para ajudar o mundo é equivocada e de fato perigosa”.

Chang também acredita que mais propaganda nos mesmos moldes será divulgada nos próximos dias.

“Pequim vai persegui-los incansavelmente porque vê isso como essencial para sua sobrevivência”, disse Chang. “Os Estados Unidos têm um aliado que é o povo chinês e nunca devemos esquecer que nosso inimigo é o regime”.

Em uma audiência no Senado de 5 de março, Lea Gabrielle, que lidera o Global Engagement Center no Departamento de Estado, alertou que a Rússia e a China estão aproveitando a crise da saúde para acelerar as campanhas de desinformação.

O assessor de segurança nacional dos EUA, Robert O’Brien, em algumas das observações mais fortes contra o regime chinês, disse que sua supressão inicial de informações sobre o surto, como silenciar denunciantes, pode ter “custado à comunidade mundial dois meses para reagir”.

“A maneira como isso começou na China, a maneira como foi tratado desde o início, não estava certa. Deveria ter sido tratado de maneira diferente”, disse O’Brien.

Siga Eva no Twitter: @EvaSailEast

 
Matérias Relacionadas