EUA aumentam pressão sobre Europa para proibir provedor de controle de segurança chinês

Por Emel Akan

WASHINGTON – O governo dos EUA está pressionando a Europa a vetar o maior fabricante de máquinas de raio-X e scanners da China, dizendo que a empresa representa uma ameaça à segurança.

A empresa estatal chinesa Nuctech, que fornece sistemas de inspeção de carga, bagagem e passageiros em aeroportos e outros portos de entrada, fez incursões significativas no mercado europeu nos últimos anos.

Os sistemas de controle de carga e bagagem podem dar a empresas como a Nuctech acesso fácil a dados pessoais e informações comerciais sensíveis, e as autoridades americanas estão preocupadas que a Nuctech possa liberar esses dados para o regime chinês.

De acordo com um relatório do Wall Street Journal, um memorando interno do Departamento de Estado dos Estados Unidos, datado de 26 de maio, descreveu os esforços de lobby dos Estados Unidos na Europa e alertou para a expansão da Nuctech nos aeroportos e portos europeus.

O Departamento de Estado, em um memorando separado em 8 de maio, declarou que o vendedor chinês estava concorrendo a contratos em mais de uma dúzia de países europeus. Por exemplo, a Finlândia, membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte, celebrou um contrato com a Nuctech, demitindo os esforços de lobby dos Estados Unidos, de acordo com o memorando visto pelo Journal.

A Nuctech foi fundada em 1997 por Hu Haifeng, filho do ex-líder do Partido Comunista Chinês Hu Jintao. No ano passado, a maioria da controladora da Nuctech foi transferida para a China National Nuclear Corp., que gerencia as armas nucleares e a produção de energia da China.

Segundo seu site, a empresa “se tornou uma marca de renome internacional no setor de segurança e inspeção”, com presença em 160 países e regiões.

As máquinas da Nuctech foram amplamente utilizadas nos portos de entrada da Europa, levantando preocupações de que uma empresa estatal chinesa esteja ciente de todos os aeroportos e portos da Europa, de acordo com um artigo da Politico publicado em fevereiro. Nos últimos seis anos, a empresa chinesa conquistou 58 contratos com autoridades de controle de fronteiras, alfândegas e outras organizações governamentais em 22 dos 28 países membros da União Europeia.

A empresa também conseguiu construir sua reputação por meio de contratos lucrativos, como as Olimpíadas de 2008 em Pequim, as Olimpíadas de 2016 no Brasil, a Milan Expo de 2015 e o torneio de tênis de Wimbledon Open de 2015.

O mercado global de controle de segurança foi avaliado em quase US $ 7 bilhões em 2019.

O Departamento de Estado estima que a Nuctech seja um participante dominante no mercado europeu de equipamentos de controle de carga marítima, com uma participação de mercado de 90% e com uma participação de mercado de até 50% no controle de bagagem e carga. passageiros nos aeroportos europeus.

No entanto, as práticas de negócios da empresa estão sob crescente escrutínio.

A Administração de Segurança de Transporte dos Estados Unidos (TSA) proibiu a empresa chinesa da maior parte do mercado aeroportuário dos EUA em 2014. A empresa foi posteriormente acusada de reter lobistas em Washington para influenciar a TSA, e também Ela foi vinculada a acusações de corrupção em vários países.

A Nuctech cresceu significativamente devido à sua capacidade de oferecer um preço mais baixo aos seus concorrentes em muitos países.

Axel Voss, membro do Parlamento Europeu da Alemanha, levantou suas preocupações sobre a empresa em dezembro, acusando-a de “usar uma estratégia massiva de preços muito baixos” para ganhar contratos.

A União Europeia anunciou neste mês que adotaria políticas protecionistas para defender suas empresas contra concorrentes estrangeiros subsidiados, na tentativa de conter as atividades de empresas chinesas como a Nuctech.

Após um período de consulta pública, a UE introduzirá um novo instrumento jurídico sobre subsídios estrangeiros no próximo ano, de acordo com a vice-presidente da Comissão Europeia Margrethe Vestager, responsável pela concorrência e pela política digital.

A nova política bloqueará investimentos e licitações públicas de empresas estrangeiras fortemente subsidiadas.

Na década passada, através de grandes subsídios governamentais, a China conseguiu criar seus próprios conglomerados nacionais em setores-chave. E recentemente, esses subsídios têm sido amplamente utilizados para alcançar o domínio no setor técnico de alta tecnologia, conforme indicado no projeto “Made in China 2025”.

Um porta-voz da Nuctech disse ao The Wall Street Journal que a empresa não tinha conhecimento dos esforços de lobby dos Estados Unidos. A empresa também negou as alegações de que recebeu subsídios do estado ou instruções do governo.

Siga Emel no Twitter: @mlakan

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas