EUA adia tarifa sobre determinados produtos chineses, incluindo laptops e telefones celulares

Por Reuters

WASHINGTON – O governo Trump adiou em 13 de agosto a imposição de uma tarifa de importação de 10% sobre laptops, celulares, consoles de videogame e alguns outros produtos fabricados na China que estavam programados para serem tarifados no próximo mês, em um recuo abrupto de uma postura linha dura sobre o comércio chinês.

A ação do Escritório de Representantes Comerciais dos Estados Unidos foi publicada poucos minutos depois de o Ministério do Comércio da China ter dito que o vice-primeiro-ministro, Liu He, conduziu um telefonema com autoridades comerciais dos Estados Unidos.

O atraso fornece algum alívio para os varejistas. Embora a maioria dos varejistas tivesse suas mercadorias de fim de ano nas lojas, mesmo antes do prazo final de setembro, algumas poderiam ter enfrentado as tarifas de pedidos de reposição no final da temporada de compras natalinas.

“Estamos fazendo isso para a época de Natal, caso algumas das tarifas tenham um impacto sobre os clientes dos Estados Unidos”, disse o presidente Donald Trump a repórteres enquanto se preparava para partir de Nova Jersey para um evento em Pittsburgh.

A decisão foi tomada menos de duas semanas depois que Trump disse que iria impor uma tarifa de 10% sobre 300 bilhões de dólares de produtos chineses, culpando a China por não cumprir as promessas de comprar mais produtos agrícolas dos Estados Unidos.

O governo ainda está avançando com as tarifas de 10% em grande parte da lista de US$ 300 bilhões divulgada pela primeira vez em maio, publicando uma lista de 122 páginas de produtos que terão de enfrentar tarifas a partir de 1º de setembro, incluindo smartwatches (relógios inteligentes).

Desde que os tweets de 1º de agosto de Trump ameaçavam as novas tarifas, o índice de ações de referência norte-americano S&P caiu mais de 4%.

Em 13 de agosto, os investidores em tecnologia deram as boas-vindas às notícias sobre as isenções, empurrando o índice de ações de grandes empresas para cima, enquanto as ações da Apple subiram mais de 4% e a Dow Jones Industrial Average subiu quase 400 pontos.

As isenções, combinadas com novas negociações com a China, sugerem que Trump pode estar disposto a fazer concessões.

Em um sinal de que a administração pode estar esperando algo em troca, Trump twittou em 13 de agosto: “Como de costume, a China disse que ia comprar “grande ”de nossos grandes fazendeiros americanos. Até agora eles não fizeram o que disseram. Talvez agora seja diferente! ” twittou Trump.

Outros produtos que terão tarifas adiadas até 15 de dezembro incluem “computadores, consoles de videogame, certos brinquedos, monitores de computador e certos itens de calçados e roupas”, disse o USTR em um comunicado.

A Câmara de Comércio dos Estados Unidos elogiou o adiamento da tarifa e disse que “é mais importante do que nunca que os dois lados retornem à mesa de negociações e se comprometam a alcançar o progresso em direção a um acordo abrangente e executável”.

A lista de 21 páginas de produtos que não receberão tarifas até dezembro inclui monitores e carrinhos de bebê, microondas, câmeras de impressão instantânea, campainhas, cadeiras altas, instrumentos musicais, ketchup, fraldas, fogos de artifício, sacos de dormir, presépios , bobinas de pesca, rolos de tinta e produtos alimentícios.

O USTR ainda está avançando com as tarifas de 1º de setembro em muitos produtos, como animais vivos, produtos lácteos, esquis, bolas de golfe, lentes de contato, motores de motocicletas, baterias de íons de lítio, sopradores de neve e vários tipos de aço.

Um grupo separado de produtos também estará totalmente isento, “baseado em saúde, segurança, segurança nacional e outros fatores”, acrescentou.

O anúncio vem em meio a crescentes preocupações sobre uma desaceleração global. O Goldman Sachs disse em 11 de agosto que o temor da guerra comercial entre Estados Unidos e China está levando a uma recessão e que o Goldman não espera mais um acordo comercial entre as duas maiores economias do mundo antes da eleição presidencial dos Estados Unidos em 2020.

Telefones celulares, laptops e tablets, brinquedos e controladores de videogames estavam entre as quatro principais categorias de produtos da lista de produtos de US$ 300 bilhões, que são alvo da última tarifa de 10%. Esses produtos representaram um total combinado de US$ 98 bilhões em importações chinesas em 2018, de acordo com uma análise da Reuters dos dados do US Census Bureau.

Trump também criticou pessoalmente o líder chinês, Xi Jinping, por não conseguir fazer mais para conter as vendas do opioide sintético fentanil, em meio a uma crise de overdose de opiáceos nos Estados Unidos.

O escritório do USTR planeja conduzir um processo de exclusão de produtos sujeitos à tarifa adicional.

Por David Shepardson e Makini Brice.

 
Matérias Relacionadas