Eu cresci na China comunista, este é o meu aviso para a América

“Achávamos que a China se tornaria a América. Em vez disso, a América está se tornando a China!”

Por Diana Zhang

A eleição deste ano teve uma participação historicamente alta.

Recentemente, muitos americanos não se importavam muito com as eleições, pensando que em última análise não havia muita diferença entre republicanos e democratas, ou entre candidatos específicos.

No entanto, com a aproximação das eleições de 2020, muitas pessoas ficaram alarmadas. Elas perceberam o quanto nosso país se afastou de suas fundações. Se não assumirmos a responsabilidade agora, elas pensaram, não haverá conserto.

O mundo inteiro está assistindo esta eleição de perto. Alguns chineses comentaram: “Achávamos que a China se tornaria a América. Em vez disso, a América está se tornando a China!”

É tão verdade. Neste ponto, há muitas coisas que não podemos dizer na América. A decência política não é uma questão de escolha; é uma habilidade de sobrevivência. Se você disser uma palavra errada, poderá perder o emprego. Se você não seguir a narrativa da grande mídia, você será atacado por ela. Essa situação chegou a tal ponto que deveríamos perguntar: ainda temos liberdade de expressão?

Isso me lembra a China. Cinquenta anos atrás, na China comunista, se você fizesse comentários casuais sobre os comunistas, acabaria na prisão ou em um campo de trabalho forçado.

Alguém que estivesse em casa e fizesse um comentário que não estivesse de acordo com o PCC seria punido. Um filho relataria sobre seu pai, uma filha sobre sua mãe e marido e mulher um sobre o outro. O medo do Partido Comunista e sua doutrinação tornaram-se uma segunda natureza humana, expulsando sentimentos naturais.

Imigrei para a América há mais de 30 anos. Sempre digo às pessoas: “A América é o país menos discriminatório em todo o mundo”. Ainda assim, ouvimos “discriminação” e “racismo” diariamente nas reportagens. “Discriminação” e “racismo” tornaram-se armas políticas. Elas não são mais uma questão de princípio moral.

Com tantos protestos e motins organizados em nome da luta contra o racismo, a questão racial é agora propositalmente usada para dividir nossa sociedade. Em países comunistas como a China e a ex-União Soviética, os comunistas criaram divisões com base na classe social.

Os comunistas sempre falam sobre luta de classes. Eles afirmam que qualquer desigualdade de riqueza ocorre porque os ricos exploram a classe trabalhadora. Os comunistas usam a classe trabalhadora para derrubar as classes média e alta, até que toda a economia do país seja destruída.

Ao colocar um grupo contra outro, eles causam o caos na sociedade e abrem a porta para a tomada do poder. Governar com o comunismo é sempre o objetivo real.

Assim como os comunistas nunca foram pelas classes trabalhadoras, aqui na América sua verdadeira preocupação não é o racismo ou a discriminação. Ao promover a divisão entre as raças, eles criam uma oportunidade de tomar o poder. Novamente, o comunismo é o objetivo.

A América tem sido um farol de liberdade para o mundo. Meus amigos na China costumavam se esconder embaixo das cobertas para ouvir a Voz da América. Ouvir VOA era um crime que poderia levá-los à prisão. Pessoas que vivem sob regimes comunistas costumavam correr grandes riscos para ouvir o Voz da América.

E a América tem sido a inveja do mundo. Já viajei para cerca de 20 países e, em todos os lugares, ouço pessoas falando sobre imigrar para a América.

Para as pessoas na Europa, a América significa mais oportunidades. Para as pessoas de outras áreas, a América é um lugar para se ter uma vida melhor. Mesmo aqueles que menosprezam a América têm ciúme da América, e aqueles que lutam com a América querem vir para a América. Eles sabem que a América respeita os direitos individuais. A América sempre foi o lar dos amantes da liberdade.

Mas a América mudou. Hoje, VOA não é mais uma estação de rádio que os chineses acham que vale a pena arriscar sua segurança para ouvir. A América tornou-se cada vez mais parecida com o país socialista do qual estão tentando fugir.

A América ainda é rica, ainda tem alguma liberdade no estilo de vida e na economia e ainda é uma sociedade aberta em comparação com muitos outros países. No entanto, há muito tempo estamos em um caminho lento e constante rumo à mesma sociedade comunista que conheci.

É por isso que tantos vieram votar. É por isso que estão lutando contra a fraude eleitoral. É agora, ou nunca. Este trem está indo para um penhasco. Se não pararmos agora, será tarde demais.

Diana Zhang, Ph.D., é redatora com 20 anos de experiência no estudo da China. Residente nos Estados Unidos, ela usa um pseudônimo para proteger os membros de sua família na China.

As opiniões expressas neste artigo são as impressões do autor e não refletem necessariamente as pontos de vista do Epoch Times.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas