Estudo diz que a cada 7 bebês de mães com zika 1 tem problema de saúde

As zonas que participaram da pesquisa são Porto Rico, Ilhas Virgens, Samoa, Estados Federados da Micronésia e as Ilhas Marshall

Por Agência EFE

Um relatório divulgado nesta terça-feira (7) pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) mostrou que de cada sete bebês nascidos de mães que foram infectadas com o zika vírus durante a gravidez, um deles tem um ou mais problemas de saúde como consequência dessa exposição.

“Sabemos que a infecção pelo vírus do zika durante a gravidez pode causar sérios problemas de saúde nos bebês, como problemas congênitos, problemas de visão e condições que nem sempre são evidentes no nascimento”, declarou o diretor do CDC, Robert Redfield.

Os pesquisadores analisaram cerca de 4.800 gestações que mostravam possível exposição ao vírus ou nas quais a doença foi confirmada através de exames laboratoriais entre 2016 e 2018. Desse total, o relatório encontrou 1.450 bebês com menos de um ano com algum problema e recomendou exames de acompanhamento para determinar possíveis sequelas do vírus.

O documento destaca a necessidade da realização de todos os testes pedidos e que seja dado acompanhamento a essas crianças para conseguir a detecção precoce de possíveis incapacidades.

“Ainda estamos conhecendo toda a gama de problemas de saúde no longo prazo que estes bebês poderiam enfrentar”, disse ele.

As zonas que participaram da pesquisa são Porto Rico, Ilhas Virgens, Samoa, Estados Federados da Micronésia e as Ilhas Marshall, que reportaram os casos ao Registro de Gravidez e Registro Infantil de Zika dos Estados Unidos (Uszpir).

O estudo, que não inclui casos no território continental dos Estados Unidos, alerta que dos 4.800 casos analisados, haveria cerca de 2.500 gestações em vários estados que deram positivo ao contágio ou possível.

 
Matérias Relacionadas