Estudantes na China rural levam suas próprias carteiras para escola

Três mil alunos no município de Shunhe, na cidade de Macheng, na província de Hubei, têm de trazer suas próprias mesas e cadeiras para a escola. (NTDTV)

As compras de volta às aulas para muitos alunos do ensino fundamental nas áreas rurais da província de Hubei da China significam a compra de mesas e cadeiras para levar para a aula.

Lu Siling, de 5 anos, da vila de Nangang, município de Shunhe, província de Hubei, tem sua mesa transportada para a escola amarrada na motocicleta de sua mãe, disse um artigo do Jornal de Changjiang de 3 de setembro.

O pai de Lu Siling contou ao Jornal de Changjiang que ele viajou vários quilômetros ao redor do bairro, pedindo de cada casa em casa por uma mesa e uma cadeira que ele pudesse pegar emprestado para sua filha. “Finalmente encontramos”, disse ele.

Na escola elementar do município de Shunhe, 3 mil dos 5 mil alunos têm de trazer suas próprias mesas e cadeiras, segundo o Jornal de Changjiang.

Zhong Fuhai, o diretor da escola, também passou os últimos dias antes do início das aulas à procura de mesas e cadeiras extras para crianças cujos pais trabalham e vivem fora da cidade a maior parte do ano.

“Em muitos casos, os pais de nossos alunos trabalham nas cidades e as crianças ficam em casa com os avós idosos”, explicou Zhong.

Tal é o caso de Wang Han, de 6 anos. Sua avó carregou as mesas e cadeiras de Wang Han e seu irmão nas costas no primeiro dia de escola, disse o Jornal de Changjiang.

A Sra. Chen de Lindian, outra comunidade no município de Shunhe, disse à NTDTV que as escolas de sua cidade não têm mesas ou cadeiras, tem sido assim há várias décadas. “Cada um traz suas próprias mesas e cadeiras para a escola”, disse ela.

Um oficial comunista da aldeia de Lindian, que foi contatado pela NTD para comentários, primeiro admitiu que algumas crianças precisavam levar suas próprias mesas, mas depois negou qualquer conhecimento do mesmo.

Sun Wenguang, ex-professor da Universidade de Shandong da China, disse que o regime chinês está desperdiçando grandes quantidades de dinheiro em gastos militares e reprimindo o povo, ao invés de gastar dinheiro em educação.

“O regime gasta dinheiro em grandes projetos para promover sua imagem, como os Jogos Olímpicos, que desperdiçou 290 bilhões de yuanes (46 bilhões de dólares), mas não investirá na educação. O orçamento de muitas escolas elementares é muito curto”, disse Sun à NTD.

Liao Ran, um analista de notícias da China, disse à Rádio Free Asia que muitas escolas usam fundos da educação para outras coisas. “Embora a Constituição chinesa diga que o ensino obrigatório é gratuito, isso é de fato uma mentira”, disse ele.

 
Matérias Relacionadas