Estudante viu projetos assistenciais que não estavam lidando bem com a higiene, então ele fundou SoapBox

Segundo a UNICEF, a diarreia é a principal causa de morte entre crianças menores de 5 anos em todo o mundo

Por Andrew Tomas, Epoch Times

Às vezes, mesmo com as melhores intenções, causas consideradas dignas podem ser esquecidas ou negligenciadas. Este homem estava trabalhando em projetos de ajuda internacional quando reconheceu uma necessidade que não estava sendo adequadamente abordada. Agora, ele está causando um grande impacto.

Em 2009, Dave Simnick iniciou a terceirização da Carana, uma empresa que projeta e direciona estratégias de crescimento econômico. Seu trabalho era contatar os líderes dos projetos da USAID (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional) e montar propostas para novos projetos.

Como resultado, Simnick aprendeu mais e mais sobre o funcionamento interno da USAID em relação à sua programação e financiamento.

Ele passou a observar quais projetos correram bem e quais não tiveram sucesso.

(Cortesia de Ali Krueger)

Simnick estava a par dos relatórios do departamento de Saneamento e Higiene da Água da USAID (WASH) e notou um problema que não estava sendo abordado.

Não havia um foco no H: higiene.

“Quanto mais eu olhava para todas as diferentes pesquisas, eu reagia tipo, o que? Eu não acho que exista realmente um grande foco na higiene, e era isso que eu queria mudar”, explicou Simnick ao Epoch Times.

Simnick percebeu que o acesso à água potável e ao saneamento básico era essencial, mas sem o foco na higiene, a água limpa e o saneamento não seriam tão eficazes quanto poderiam ser.

Segundo a UNICEF, a diarreia é a principal causa de morte entre crianças menores de 5 anos em todo o mundo.

Água insalubre, falta de saneamento e falta de higiene causam cerca de 60% dessas mortes.

(Cortesia de Ali Krueger)

A lavagem das mãos com sabão pode reduzir em 40% a chance de ter diarreia.

Simnick tomou conhecimento dessas estatísticas enquanto trabalhava para a Carana, e percebeu que algo tão simples quanto o sabão poderia ter um impacto monumental na saúde mundial.

Ele e seus amigos consideraram começar uma organização sem fins lucrativos para tratar da questão da higiene, mas eles se depararam com os problemas habituais ao tentar montar uma organização sem fins lucrativos.

Eles teriam que levantar dinheiro para investir e manter a ONG, realizarem eventos e, finalmente, depender de doações.

Foi quando Simnick ligou para o amigo de infância Eric Vong e então tiveram uma ideia.

(Cortesia de Ali Krueger)

Simnick e Vong pensaram: por que não começar um negócio com fins lucrativos que poderia sustentar o objetivo de fornecer educação sobre higiene e sabão para populações carentes?

Às vezes, uma grande mudança pode vir de origens humildes.

Simnick fez sua primeira barra de sabão em seu próprio apartamento. Ele procurou na internet por ingredientes, equipamentos e instruções para fazer sabão, e foi em frente.

“Eu acho que muitos dos meus colegas de quarto pensaram que eu era louco”, lembrou Simnick.

Simnick foi um aluno atento durante as aulas sobre empreendedorismo na American University em Washington, D.C., e conheceu um amigo chamado Dan Doll.

Doll se interessou pela missão e eles trabalharam em um plano de negócios para uma empresa de sabão como um projeto para ser apresentado na aula.

Depois de aperfeiçoar seu sabão caseiro, ele passou a distribuí-lo para pequenos varejistas locais. O negócio de sabão da Simnick, SoapBox, nasceu em 2010.

A primeira grande chance da equipe foi quando eles convenceram a cadeia de lojas da Whole Foods a comprar seu sabão.

(Cortesia de Ali Krueger)

Simnick e sua equipe estavam trabalhando em outros empregos em tempo integral quando o negócio de sabão começou a decolar.

Em 2014, a equipe teve uma reunião com a Target e foi quando a empresa explodiu. A empresa tinha expandido de sabão para outros produtos de higiene, como xampu, todos produzidos em Indiana.

Ao longo da criação da SoapBox, foi a missão de fornecer sabão e melhor educação de higiene em todo o mundo que sustentaram seus esforços.

A mais recente parceria da SoapBox com a Marriott levou à doação de 1,4 milhão de barras de sabão.

(Cortesia de Ali Krueger)

Para cada produto SoapBox que é comprado, uma barra de sabão é doada para alguém que precisa no país ou em todo o mundo. Mais da metade de suas doações vão para abrigos nos Estados Unidos.

Além disso, todo o sabão que é doado é feito a partir de sabão reciclado de hotéis, tornando a missão ainda mais autossustentável.

Eles também trabalham com fabricantes de sabão locais nos países que apoiam e estão conscientes de não causar mais mal do que bem nas comunidades que servem.

“Distribuir milhares de barras de sabão prejudica os fabricantes locais de sabão e pode colocá-los fora do negócio. Nosso modelo apoia as economias locais enquanto fornece educação sobre sabão e higiene”, afirma o site da SoapBox.

Com quase 3 milhões de barras de sabão doadas, e contando, Simnick tem que se orgulhar do quão longe ele conseguiu chegar.

“Eu acho tão legal. Sim, é divertido criar um negócio, mas é uma coisa totalmente diferente ver o impacto que você causa no mundo e nos nossos parceiros ”, disse Simnick.

Together, we're raising the bar! Our co-founder, David Simnick, helped distribute bars of soap with the Bed-stuy…

Posted by SoapBox Soaps on Thursday, April 27, 2017

 

 
Matérias Relacionadas