Estamos transferindo pacientes da COVID-19 para campos de quarentena, afirma alto oficial da Austrália

Homem de 77 anos morreu no local de quarentena no fim de semana

Por Jack Phillips

As autoridades australianas estão removendo pacientes que testaram positivo para COVID-19 e residentes no Território do Norte para um campo de quarentena em Howard Springs, após nove casos serem identificados na comunidade de Binjari, de acordo com um oficial local.

Rígidas medidas de isolamento foram implementadas em Binjari e nas proximidades de Rockhole, em 20 de novembro, de acordo com o ministro-chefe do Território do Norte.

“Os residentes de Binjari e Rockhole não têm mais os cinco motivos para deixar suas casas”, declarou o ministro-chefe Michael Gunner em uma postagem no Facebook datada de 20 de novembro. Os cinco motivos, permitidos pela Austrália, para as pessoas deixarem suas casas incluem ir ao trabalho ou à escola, comprar alimentos ou suprimentos, fazer exercícios, prestar cuidados ou ser vacinado.

As autoridades “identificaram cinco contatos próximos adicionais em Borroloola que não eram conhecidos por nós. (…) Todos os testes deram negativo e estão sendo transferidos para Howard Springs”, afirmou.

Gunner declarou, em 21 de novembro, que oito pessoas foram levadas para uma instalação em Howard Springs, relatou o The Guardian.

“É muito provável que mais residentes sejam transferidos para Howard Springs hoje, seja como casos positivos ou como contatos próximos”, afirmou Gunner. “Já identificamos 38 contatos próximos de Binjari, mas esse número vai aumentar. Esses 38 estão sendo transferidos agora”.

De acordo com o site do governo do Território do Norte, aqueles que são levados para Howard Springs ou ao outro campo de quarentena, a Instalação de Quarentena de Alice Springs, e “não são submetidos à um teste, devem permanecer em quarentena por mais 10 dias cobrindo suas próprias despesas”.

Em 22 de novembro, o comissário de polícia e controlador do território, Jamie Chalker, confirmou aos meios de comunicação que um homem de 77 anos que estava em um voo de repatriação internacional morreu no local de quarentena de Howard Springs no fim de semana.

“Ele era um repatriado internacional. Obviamente, ele era um indivíduo de 77 anos”, Chalker relatou à mídia local. “Estamos apenas verificando se ele tinha algum outro problema, mas certamente a análise inicial não indica que foi uma morte relacionada à COVID.”

No fim de semana, milhares de pessoas se manifestaram em várias cidades australianas contra as exigências de vacinas. Cerca de 85 por cento da população elegível está vacinada desde 19 de novembro.

Nos últimos meses, surgiram preocupações quanto aos bloqueios e restrições de emergência dos governos federal e estadual da Austrália devido à COVID-19. Por exemplo, Melbourne sofreu provavelmente o bloqueio mais longo do mundo.

“Há preocupações entre partes da comunidade sobre algumas legislações de gestão da pandemia, as quais o governo estadual está tentando aprovar na Alta Câmara do Parlamento”, afirmou a jornalista Dana Morse, de Melbourne, à Al Jazeera. “Esse projeto estagnou, mas as pessoas estão preocupadas com a quantidade de poder que o governo estadual terá se o projeto for aprovado”.

Enquanto isso, no início deste mês, a Austrália abriu suas fronteiras para viajantes vacinados da Nova Zelândia, após ter ficado fechada por quase 600 dias. O primeiro-ministro, Scott Morrison, declarou em 22 de novembro que a Austrália permitirá que portadores de vistos estrangeiros entrem no país em dezembro.

A Austrália fechou suas fronteiras internacionais em maio do ano passado e permitiu a entrada de apenas um número restrito de cidadãos e residentes permanentes.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas