Estado Islâmico planeja algo mais brutal que ’11 de Setembro’, afirma ex-prisioneiro

Um homem que escapou do Estado Islâmico revela que os jihadistas planejam desenvolver armas de destruição em massa e organizar algo “mais brutal do que o 11 de Setembro”.

“Eles querem ser melhores do que a Al-Qaeda, por isso precisam realizar ataques mais brutais do que o ‘11 de Setembro’, de acordo com Ahmad Rashidi, um refugiado afegão que vive em Londres, à emissora americana CNBC.

Leia também:
Manifestações reúnem 3,7 milhões em toda França contra o terrorismo
Estado Islâmico divulga código penal que inclui crucificação e amputação
Vaticano pode ser próximo alvo dos terroristas, afirma ministro italiano

Rashidi, que estuda medicina, foi capturado por jihadistas na Síria durante uma missão para resgatar as filhas de um amigo. O afegão conseguiu convencer os terroristas da sua intenção de se juntar a eles como médico. Depois de aceitar Rashidi, os jihadistas lhe revelaram sua satisfação pelos bombardeios da coalizão ocidental porque isto os faz “igual à Al Qaeda”.

Além disso, o Rashidi revelou que o Estado Islâmico apoia a violência perpetrada no Ocidente pelos “lobos solitários”. Rashidi confirma que os jihadistas têm enviado seus apoiadores para atacar países como EUA, Reino Unido, França, Canadá e Austrália.

Em agosto do ano passado, um grupo de rebeldes sírios que combatem o Estado Islâmico encontrou em um edifício anteriormente ocupado por jihadistas um computador com planos detalhados para o desenvolvimento de bombas e armas bioquímicas.

 
Matérias Relacionadas