Especialistas em saúde da Noruega recomendam a proibição da vacina COVID-19 AstraZeneca

Por Jack Phillips

A agência de saúde da Noruega disse que o país deveria parar de usar a vacina AstraZeneca COVID -19, depois que a Organização Mundial da Saúde e a Agência Europeia de Medicamentos comunicaram que os benefícios da injeção superam os riscos.

“Agora há muito mais conhecimento sobre a conexão entre a vacina AstraZeneca e os raros e graves incidentes de plaquetas baixas, coágulos sanguíneos e sangramento do que quando a Noruega optou por suspender o uso da vacina AstraZeneca em março”, disse Geir Bukholm , diretor de controle de infecção do Instituto Nacional de Saúde Pública da Noruega, em um comunicado aos meios de comunicação.

Ele acrescentou que “com base neste conhecimento, chegamos a uma recomendação de que a vacina AstraZeneca seja removida do programa de vacinação coronariana na Noruega”.

Um porta-voz da AstraZeneca disse ao Epoch Times na sexta-feira que “cabe a cada país decidir com base nas condições locais” quanto ao uso da vacina COVID-19 da empresa após os comentários de Bukholm sobre a injeção.

O porta-voz acrescentou: “Continuaremos a colaborar com os reguladores e autoridades locais para disponibilizar todos os dados disponíveis para fundamentar as suas decisões”.

A AstraZeneca acrescentou que os reguladores de saúde na Europa “confirmaram que os benefícios da vacina na prevenção da COVID-19 superam em muito os riscos e as pessoas devem continuar a ser vacinadas quando solicitadas”.

No início de março, as autoridades norueguesas suspenderam o lançamento da vacina depois que as pessoas que receberam a vacina foram hospitalizadas com coágulos sanguíneos e uma baixa contagem de plaquetas. Três casos foram fatais, disseram as autoridades, de acordo com a Euronews .

Na quarta-feira, a Dinamarca se tornou o primeiro país da Europa a abandonar totalmente a vacina AstraZeneca.

“No geral, devemos dizer que os resultados mostram que há um sinal de efeito colateral real e sério na vacina da AstraZeneca”, disse o oficial de saúde dinamarquês Soren Brostrom, em um comunicado. “Com base em uma consideração geral, optamos, portanto, por continuar o programa de vacinação para todos os grupos-alvo sem esta vacina”.

Autoridades dinamarquesas disseram anteriormente que duas pessoas que receberam a vacina AstraZeneca sofreram de coágulos sanguíneos graves. Um deles morreu, disseram no mês passado.

Um porta-voz da gigante farmacêutica disse ao Epoch Times: “Reconhecemos e respeitamos a decisão tomada por Sundhedsstyrelsen na Dinamarca. A implementação e distribuição do programa de vacinas é uma questão de decisão de cada país, com base nas condições locais. Continuaremos a colaborar com os reguladores e autoridades locais para fornecer todos os dados disponíveis para embasar suas decisões. ”

COVID-19 é a doença causada pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) .

Entre para nosso grupo do Telegram.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas