A Era Gilberto Kassab: doações, remoções e especulação imobiliária

Gilberto Kassab recebeu doações durante sua campanha política e assinou contratos milionários com as empreiteiras
Gilberto Kassab recebeu doações durante sua campanha política e assinou contratos milionários com as empreiteiras (Ale Vianna/Getty Images)

Entre 2006 e 2012, durante os dois mandatos de Gilberto Kassab (DEM, atual PSD) como prefeito, São Paulo viveu momentos antagônicos de uma mesma realidade de transformação urbana. De um lado, a pujança de obras bilionárias de infraestrutura, de empreendimentos residenciais e comerciais que transformaram regiões inteiras. De outro, remoções de milhares de família de baixa renda dessas áreas, e sua expulsão para regiões periféricas e sem infraestrutura.

Entre 2005 e 2006, o então prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), já tinha começado esse processo, indicando os caminhos para que Kassab, seu vice e afilhado político, assumisse o posto quando ele deixasse a administração do município para se candidatar ao governo do Estado. Um dos principais legados do padrinho ao afilhado foi o projeto Nova Luz, plano lançado em setembro de 2005, seis meses antes da renúncia do tucano. O programa começou como um conjunto de incentivos fiscais para atrair investimentos privados ao centro da cidade, na região da Luz e Santa Efigênia, além de ações de retirada de pessoas em situação de rua.

A estratégia baseada em ações de repressão foi classificada por urbanistas, acadêmicos e movimentos sociais como higienista e de limpeza social. Aos poucos, o Nova Luz tornou-se um projeto urbanístico que, entre outros aspectos, previa autonomia à iniciativa privada para desapropriar e lucrar sobre 45 quadras da região.

Dando continuidade à gestão de Serra, Kassab seguiu o tucano também nas relações com empreiteiras. Recebeu doações durante sua campanha política e assinou contratos milionários com as empresas depois de vencida a eleição. Os dois políticos forma investigados por indícios de favorecimento de empreiteiras em contratos com o governo. Kassab, inclusive, teve seu mandato cassado pela Justiça Eleitoral em 2010 por receber doações consideradas irregulares das tais empresas nas eleições de 2008. A cassação foi suspensa poucos meses depois pelo TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral).

Veja esquema com quatro feitos representativos da tríade doações, remoções e pujança construtiva que marcaram a era Kassab.

Esse conteúdo foi originalmente publicado pelo site Repórter Brasil

 
Matérias Relacionadas