Equipe de reportagem que investigava prisão de pastor é atacada

Uma equipe de reportagem e vários advogados que buscam acesso a um pastor detido na província de Henan, no centro da China, foram atacados por bandidos contratados e escaparam se entrincheirando num escritório.

Funcionários da Sky News do Reino Unido foram a Nanle, em Henan, em 13 de dezembro para investigar a detenção do pastor Zhang Shaojie da Igreja do Condado de Nanle e de 20 outros membros da igreja em 16 de novembro. De acordo com a organização de direitos humanos ‘China Aid’, vários deles ainda estão detidos sem acesso a advogados.

Enquanto a equipe da Sky News se reunia com uma delegação de advogados de direitos humanos que estão trabalhando no caso, eles foram subitamente cercados por uma multidão agressiva.

“Numa fração de segundo, nossa conversa civilizada com os advogados se transformou num caos. Um ônibus carregado de mulheres apoiadas por alguns homens atacaram os advogados, os cristãos e nós”, disse Mark Stone, o correspondente da Sky News.

“Um dos advogados foi espancado e chutado diante de nós. Nossa câmera foi arrancada do ombro do cinegrafista da Sky News e danificada”, continuou ele.

Os advogados e a equipe de reportagem recuaram para uma sala no escritório do promotor e se entrincheiraram no interior reforçando a entrada com mobiliário. Outro advogado, ainda do lado de fora, foi atingido com um tijolo.

Quando perguntado sobre a multidão, Xia Jun, o advogado principal dos cristãos detidos, disse a Stone: “Eles são pagos e apoiados pelo governo local. Eles vêm e vão conforme necessário. Tudo isso é organizado nos bastidores do governo.” Ele disse a Stone que o mesmo grupo os tinha atacado no dia anterior.

Após uma chamada para o Ministério das Relações Exteriores da China, em Pequim, e uma espera de várias horas, autoridades chegaram e escoltaram a equipe de reportagem com segurança para fora do prédio e depois para fora da cidade.

Os advogados não tiveram sucesso em ter acesso ao pastor ou outros que foram detidos. “Eu estou em Nanle há mais de 20 dias… Nós fomos ao centro de detenção para vê-los cinco vezes, mas nenhum acesso nos foi dado”, disse Xia ao correspondente Stone.

Religião e terra

“Este caso é simplesmente por razão religiosa”, explicou o promotor Xia. As autoridades prenderam o pastor, os funcionários da igreja e os líderes do núcleo, explicou Xia. “Com todos eles presos, as atividades de adoração e serviços não podem realizar-se como de costume.”

Pouco depois de o pastor e os membros da igreja serem presos, autoridades do condado de Nanle fecharam o prédio da igreja, dizendo que era perigoso e poderia entrar em colapso, informou a China Aid.

Sem acesso à igreja, os fiéis se reuniram em 1º de dezembro numa área de floresta, que foi aprovada pelas autoridades. No meio do serviço, as autoridades do condado enviaram “vários veículos com cerca de cem pessoas” que abusaram fisicamente os cristãos e os expulsaram da área, segundo a China Aid.

Os fiéis se deslocaram para outro local ao ar livre, mas foram novamente expulsos e orientados a voltar à igreja. Quando retornaram, as autoridades locais novamente enviaram uma centena de pessoas para interromper o serviço, disseram os fiéis à China Aid. Um dos advogados disse ao correspondente Stone da Sky News: “O cristianismo no sistema chinês não tem qualquer status real.”

Os advogados disseram a Stone que acreditam que a terra da igreja foi apreendida para que as autoridades locais possam usá-la para desenvolvimento e exploração imobiliária e que os membros da igreja estavam de acordo. “O principal problema é o poder das autoridades em nosso país. Elas se comportam como feras… e prejudicam a todos. Para elas, a lei não existe”, disse o advogado Xia.

 
Matérias Relacionadas