Publicado em - Atualizado em 03/10/2012 às 9:11

Epoch Times acerta sobre escândalo de Wang Lijun, diz documento do PCC

Imagem do programa “Notícias Micro” da NTDTV em 29 de setembro. (NTDTV)

As reportagens do Epoch Times e de duas mídias parceiras sobre os escândalos políticos que têm abalado a China desde fevereiro foram consideradas “precisas”, “oportunas” e “completas” pelas autoridades do Partido Comunista Chinês, segundo um documento interno recente que foi obtido pela emissora NTDTV, uma mídia parceira do Epoch Times.

A NTDTV é principalmente uma emissora de língua chinesa com sede em Nova York. Ela recebeu uma versão digitada do que foi identificado como uma circular interna produzida por uma agência local do ‘Grupo Central da Liderança para Lidar com a Questão do Falun Gong’, também conhecido como Agência 610, assim nomeado em função da data de sua fundação. Essa agência foi fundada em 10 de junho de 1999 para liderar a campanha contra o Falun Gong utilizando todos os recursos estatais disponíveis e sem restrições legais.

A circular diz, em parte, “Depois do incidente de Wang Lijun deste ano, as mídias nacionais e internacionais dirigidas pelo Falun Gong coletaram informações internas de forma organizada e por meio de múltiplos canais e publicaram as reportagens mais precisas, oportunas e completas. As três principais mídias do Falun Gong criaram colunas especiais e publicaram milhares de artigos e agências de notícias estrangeiras frequentemente usaram informações do ‘Falun Gong’.”

O termo ‘Falun Gong’, o nome de uma popular disciplina espiritual chinesa, foi colocado em aspas como é comum em relatórios estatais. Em julho de 1999, o então líder chinês Jiang Zemin começou uma campanha para erradicar o Falun Gong. Seus praticantes, desde então, têm sofrido perseguição, com a prática sendo regularmente atacada pela propaganda oficial do regime chinês.

As “três mídias principais do Falun Gong” é uma frase usada em outros documentos do Partido Comunista Chinês (PCC) e se refere ao jornal Epoch Times, à emissora NTDTV e à Rádio Som da Esperança, três organizações multilíngues de mídia baseadas fora da China e que relatam sobre questões políticas e de direitos humanos na China. Nenhuma das empresas tem afiliação formal com o Falun Gong.

As autoridades comunistas chinesas às vezes tentam prejudicar os esforços de obtenção de notícias dessas empresas de comunicação e se referem a elas como “forças hostis”.

Representantes da NTDTV disseram que o documento foi emitido entre 1º e 21 de setembro, mas observaram que a data e uma parte do texto foram digitadas. Representantes da NTDTV alegaram confiar que o texto seja verdadeiro porque foi obtido por meio de uma fonte confiável e porque o estilo da linguagem usada é idêntico ao encontrado em circulares internas do PCC.

“Por razões de segurança, não podemos revelar a pessoa que nos passou este documento”, disse Huang Wanqing, o vice-presidente de notícias da NTDTV, numa mensagem. “Mas essa pessoa vazou informações para nós antes e sempre foram sólidas. Estamos confiantes de que o documento seja autêntico. Obviamente, o Partido Comunista presta muita atenção em nós.”

O Epoch Times, a NTD e o Som da Esperança têm reportado sobre como uma facção leal a Jiang Zemin tem tentado recuperar o poder para garantir que a perseguição ao Falun Gong continue e para evitar que sejam responsabilizados pelos crimes que a facção cometeu na campanha de perseguição.

Bo Xilai foi uma figura-chave numa conspiração que também envolveu o atual chefe da segurança pública chinesa Zhou Yongkang e outros. Eles planejavam remover Xi Jinping do poder depois que ele se tornasse secretário-geral do PCC e líder da China. Essa conspiração foi exposta quando Wang Lijun, o braço-direito de Bo Xilai, tentou desertar no consulado dos EUA em Chengdu em fevereiro.

As reportagens também investigaram a colheita forçada de órgãos de dezenas de milhares de prisioneiros vivos da consciência do Falun Gong, realizada pelo aparato de segurança, com os papéis principais desempenhados pelos membros da facção de Jiang Zemin.

Reportagens, editoriais e análises do Epoch Times e de suas mídias parceiras também previram com precisão eventos futuros no Partido Comunista, incluindo o afastamento de Zhou Yongkang e o desmonte de seu aparato de segurança, que adquiriu enormes poderes sob Jiang Zemin.

As três empresas de mídia também informaram sobre a importância de várias mudanças de pessoal feitas pelo atual líder chinês Hu Jintao e sobre uma luta nos bastidores envolvendo a facção de Jiang Zemin no que analistas têm avaliado como uma tentativa cada vez mais inútil desta facção de recuperar o poder.

Guo Jun, a editora-chefe das edições em língua chinesa do Epoch Times, disse que “a facção de Jiang Zemin criou um segundo centro de poder na China e arruinou o sistema jurídico. Ela acelerou o colapso da moralidade pública e provocou o crime hediondo da colheita forçada de órgãos de pessoas vivas. Como pode a sociedade chinesa ser estável?” Guo Jun previu que uma revelação completa da extensão dos crimes contra o Falun Gong contribuiria para o desmoronamento do regime comunista chinês.

Howard Feng, Zi Tan e Mu Qing contribuíram para este artigo.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

Nota do Editor: Quando o ex-chefe de polícia de Chongqing, Wang Lijun, fugiu para o consulado dos EUA em Chengdu em 6 de fevereiro, ele colocou em movimento uma tempestade política que não tem amenizado. A batalha nos bastidores gira em torno da postura tomada pelos oficiais em relação à perseguição ao Falun Gong. A facção das mãos ensanguentadas, composta pelos oficiais que o ex-líder chinês Jiang Zemin promoveu para realizarem a perseguição ao Falun Gong, tenta evitar ser responsabilizada por seus crimes e continuar a campanha genocida. Outros oficiais têm se recusado a continuar a participar da perseguição. Esses eventos apresentam uma escolha clara para os oficiais e cidadãos chineses, bem como para as pessoas em todo o mundo: apoiar ou opor-se à perseguição ao Falun Gong. A história registrará a escolha de cada pessoa.

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016