Enquanto tensão entre Japão-China cresce, turistas e voos são vítimas

Voos da China para o Japão foram cancelados ou cortados em aeroportos de todo o país recentemente, enquanto a disputa entre os dois países se inflama. (Tejia Jiapiao Xunxi/Weibo.com)

Na manhã de domingo passado, Han Song, um jornalista e blogueiro, deveria ter estado num avião para o Japão para participar de uma reunião amigável entre escritores chineses e japoneses. Mas o lado chinês cancelou e, ao invés disso, ele permaneceu no escritório editando artigos que atacavam o Japão.

Han Song detalhou a experiência em seu blogue no website Sina em 16 de setembro, depois que se tornou um das dezenas de milhares de chineses que ao longo das duas últimas semanas cancelou, ou teve cancelado por eles, suas viagens ao Japão.

“Nós nos preparávamos há meses e tantas pessoas investiram tanta energia, atenção e dinheiro”, disse ele. “Em momentos chave, as relações face-a-face são tão importantes entre os dois países.”

Mas, em função das crescentes tensões entre as duas nações pelo arquipélago rochoso disputado no Mar da China Oriental, os agentes turísticos chineses e viajantes estão reduzindo seus planos em escala maciça.

Uma das maiores agências de viagens na China, a Kanghui, terminou recentemente planos de enviar 50 mil turistas chineses ao Japão este ano em comemoração pelos 40 anos da normalização das relações diplomáticas entre os dois países. A Kanghui também notificou 5.500 filiais em toda a China para removerem passeios ao Japão do menu.

Até agora, o Japan Airlines viu o cancelamento de 12 mil bilhetes de clientes que viajariam de e para a China, segundo o Nihon Keizai Shimbun, um grande jornal financeiro do Japão.

A China Eastern Airlines cancelou planos de abrir uma nova rota de Shanghai, no sul da China, para Sendai no Japão.

A China Southern Airlines cortou voos pelos próximos dois meses e a Hainan Airlines suspendeu sua rota de Okinawa, segundo o jornal chinês Diário de Hangzhou.

A Air China reduziu a escala dos aviões em 34 rotas, incluindo Pequim-Tóquio e Pequim-Nagoya, bem como as rotas Shanghai-Osaka e Shanghai-Tóquio. Além disso, 36 voos nestas rotas foram cancelados. A Air China estima que, mesmo com os cancelamentos e ajustes, a frequência destes voos será de apenas 60%, pelo menos nas próximas semanas.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas