Empresas de alimentos gastam milhões para bloquear rótulo de OGM

Em 5 de novembro, os eleitores do estado de Washington vão decidir se o estado será ou não o primeiro do país a exigir a rotulagem de organismos geneticamente modificados (OGM). As empresas gastaram milhões para se opor à votação, mas, até recentemente, muitas conseguiram manter suas identidades em segredo.

O grupo Mães para a Rotulagem foi o primeiro a acusar a Associação de Supermercados (AS) de violar as leis de divulgação da campanha de financiamento do Estado. O grupo disse que a AS estava lavando o dinheiro das doações feitas pelas empresas que ela representa, para protegê-las da reação dos consumidores. Um juiz arquivou o caso por uma questão técnica.

Em 16 de outubro, o Procurador do Estado de Washington, Bob Ferguson, apresentou outro processo. Sua ação funcionou. No dia seguinte da apresentação do processo do estado, a AS divulgou os nomes das 34 marcas de alimentos e bebidas mais conhecidas do país, e as contribuições financeiras feitas por cada uma para a campanha que objetiva derrotar a iniciativa eleitoral 522.

“Na nossa opinião, isso é uma clara violação. É uma violação importante, sobretudo tendo em conta o tamanho e a quantia de dólares que estamos falando”, disse Ferguson em entrevista coletiva em Seattle.

U$ 17 milhões para derrotar a iniciativa

As contribuições para a campanha que objetiva derrotar a I-522 até o momento soma mais de 17 milhões de dólares americanos. As empresas de alimentos contribuíram com mais de 7 milhões de dólares americanos. De acordo como Seattle Times, os adversários da I-522 quebraram o recorde estadual em arrecadar dinheiro contra uma iniciativa do estado.

A lista de empresas, incluindo a PepsiCo, Campbell Soup, General Mills, Kellogg, Hershey, Nestlé EUA e outras, revela diversas marcas que também contribuíram contra a campanha de rotulagem da Califórnia, em 2012.

De acordo com uma diretiva no mural da AS, em dezembro de 2012, esconder a identidade dos contribuintes à campanha foi uma estratégia para financiar a oposição à I-522, “enquanto blindava as empresas contra ataques por providenciar financiamento”.

Em uma declaração feita em 17 de outubro, a AS disse que sua divulgação voluntaria dos contribuintes visa a criação de eleitores em Washington com “total transparência”. “A AS está tomando essa ação para permitir que a campanha se foque nas questões importantes, relacionadas à proposta da votação da I-522, e para colocar um fim nas distrações desnecessárias e especulações sobre as fontes e os montantes do financiamento”, disse o grupo de comércio.

Veja abaixo a lista de empresas que contribuíram para derrotar a I-522 (em dólares):

  1. Pinnacle Foods Group LLC – $120.846
  2. The J. M. Smucker Company – $241.091
  3. Rich Products Corporation – $24.049
  4. General Mills, Inc. – $598.819
  5. PepsiCo, Inc. – $1.620.899
  6. Bunge North America, Inc. – $94.993
  7. Bumble Bee Foods, LLC – $36.073
  8. Bush Brothers & Company – $16.233
  9. Moody Dunbar, Inc. – $1.804
  10. Dean Foods Company – $120.245
  11. Kellogg Company – $ 221.852
  12. Nestlé USA, Inc. – $1.052.743
  13. ConAgra Foods – $285.281
  14. Bimbo Bakeries USA – $94.693
  15. Welch Foods, Inc. – $28.859
  16. Knouse Foods Cooperative, Inc. – $14.429
  17. Bruce Foods Corporation – $3.006
  18. Abbott Nutrition – $127.459
  19. Campbell Soup Company – $265.140
  20. Del Monte Foods Company – $86.576
  21. Sunny Delight Beverages Company – $ 21.043
  22. Shearer’s Foods, Inc. – $ 25.251
  23. Mondelez Global LLC – $144.895
  24. Land O’Lakes, Inc. – $99.803
  25. The Coca-Cola Company – $1.047.332
  26. The Hillshire Brands Company – $97.398
  27. The Hershey Company – $248.305
  28. Hormel Foods Corporation – $52.908
  29. Clement Pappas & Company, Inc. – $21.043
  30. McCormick & Company, Inc. – $102.208
  31. Ocean Spray Cranberries, Inc. – $55.313
  32. Flowers Foods, Inc. – $141.288
  33. Cargill, Inc. – $98.601
  34. The Clorox Company – $12.024

Total US$ 7.222.500

 
Matérias Relacionadas