Empresário chinês oferece US$ 32 mil para qualquer oficial que nadar em rio poluído

Funcionários limpam o severamente poluído rio Nanming em Guiyang, província de Guizhou, Sudoeste da China (STR/AFP/Getty Images)

Um empresário chinês ofereceu 200 mil yuanes (32 mil dólares) a qualquer oficial da agência ambiental do governo local que nadasse num rio poluído por pelo menos 20 minutos.

Jin Zengmin, o diretor da companhia Óculos Maoyuanchang Ltda. de Hangzhou, “desafiou” um chefe ambiental de Zhejiang a nadar num rio não nomeado que flui pela cidade costeira de Rui’an, escreveu ele em sua conta do Sina Weibo recentemente. Jin Zengmin disse que costumava nadar no rio quando era criança e sua mãe também lavava roupa da família lá.

Mas como o rio se tornou seriamente poluído – uma característica comum compartilhada por muitos corpos d’água na China – mais e mais pessoas tem adquirido câncer como resultado, afirmou Jin Zengmin. Ele disse que a razão para a grave poluição seriam as cerca de mil fábricas de borracha para calçados nas cercanias, que despejam seus resíduos diretamente no rio.

Xu Yihua, que é chefe da Secretaria de Gestão Ambiental Feiyun Rui’an, disse que “as fotos de Jin Zengmin mostram apenas uma pequena parte” do rio e isso não seria um reflexo preciso da qualidade geral da água, segundo a mídia estatal Diário da China. O jornal não entrou em detalhes sobre quando Xu Yihua viu as fotos.

Após os comentários de Xu Yihua, Jin Zengmin fez uma oferta de 200 mil yuanes para o oficial nadar ou mesmo andar no rio. “Se Xu Yihua se atrever a nadar no rio por 20 minutos, eu lhe pagarei 200 mil yuanes”, escreveu Jin Zengmin no Weibo.

Chi Renfu, da Secretaria de Proteção Ambiental de Rui’an, disse ao Diário da China que “lixo doméstico, incluindo sacolas plásticas de lixo, embrulhos de comida entregue a domicílio e lanternas usadas no Ano Novo Chinês, estavam por toda parte” ao longo do rio, quando este foi inspecionado. No entanto, ele disse que os resíduos químicos das fábricas não eram o problema e culpou os moradores locais pelo despejo do lixo.

No mês passado, a Voz da América (VOA) relatou que 40% dos rios da China estão “seriamente poluídos”, com cerca de 1.700 incidentes de poluição da água ocorrendo a cada ano. A agência de notícias citou um relatório recente em que produtos químicos contaminaram um rio na província de Shanxi, mas levou cinco dias para as autoridades locais reportarem o incidente.

“Dos mais de 100 rios existentes em Pequim, apenas dois ou três podem ser usados para água de torneira e esses são os que o governo de Pequim está protegendo”, disse Zhao Feihong, uma pesquisadora e especialista em água da Associação de Saúde de Pequim, à VOA. “Esses são os que podemos usar a água, o resto dos rios, se não secaram, estão poluídos pelo despejo.”

Zhao Feihong e seu marido chamaram a atenção do público recentemente após fazerem declarações de que não bebem água da torneira em Pequim há mais de 20 anos.

Durante anos, as autoridades de Pequim não divulgaram estatísticas da qualidade da água, dizendo que era segredo de Estado, mas recentemente começaram a fazê-lo. Ela disse que embora esse seja um desenvolvimento bem-vindo, “Eu acho que a divulgação de estatísticas não é suficiente.”

Poluição do ar perdura

Nas últimas semanas, a poluição ambiental desenfreada na China esteve nas mentes de muitos chineses. Em janeiro, Pequim e duas dúzias de outras cidades chinesas foram flageladas com uma atmosfera densa de partículas poluentes do ar, atingindo níveis alarmantes.

Na segunda-feira passada, o jornal Beijing News relatou um retorno a níveis de poluição entre moderado e grave em 74 cidades. O relatório disse que a neblina foi causada pelo mau tempo e pelos fogos de artifício usados na comemoração do Ano Novo chinês de cerca de duas semanas atrás.

A mídia estatal Xinhua informou recentemente que em Shijiazhuang, capital da província de Hebei, o índice de qualidade do ar chegou a 500 microgramas por metro cúbico na escala PM 2,5, que é usada para medir partículas de 2,5 microns.

A Organização Mundial de Saúde diz que o limite seguro da PM 2,5 deve ser inferior a 25.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas