Empresa de telecomunicações chinesa acusada de espionagem

Huawei seria bloqueada em licitação de rede canadense
Mike Rogers, presidente do Comitê de Inteligência do Senado, fala numa conferência de imprensa no lançamento do relatório do comitê sobre a ameaça à segurança representada pelas empresas de telecomunicações chinesas Huawei e ZTE, em 8 de outubro, em Washington DC. (Mandel Ngan/AFP/Getty Images)

A Huawei, uma gigante das telecomunicações da China, está enfrentando crescente escrutínio sobre preocupações de espionagem nos Estados Unidos e provavelmente será bloqueada de concorrer numa licitação nova e crítica de rede de computadores do governo do Canadá.

Um porta-voz do escritório do primeiro-ministro (EPM) não abordou diretamente qualquer preocupação sobre a Huawei durante uma conferência de imprensa na terça-feira, mas observou que a ‘Shared Services Canada’, um novo departamento que assumirá o controle dos serviços de e-mail, telecomunicações e dados do governo federal, invocou uma exceção de segurança nacional pela construção da rede da Huawei.

A exceção significa que a construção da rede não estará sujeita aos requisitos de licitação impostos em contratos do governo para acordos comerciais. “O governo escolherá com cuidado a construção desta rede”, disse Andrew MacDougall, o diretor de comunicações do EPM, a repórteres. “Deixarei para vocês pensarem se a Huawei deve ser uma parte de um sistema de segurança do governo canadense.”

A ‘Shared Services Canada’ emitiu um comunicado dizendo que o governo leva a sério a segurança cibernética e agia segundo o conselho de especialistas em segurança. “Nosso governo colocou em prática uma estratégia de segurança cibernética concebida para defesa contra ameaças eletrônicas, espionagem e pirataria cibernética”, disse o comunicado. A ‘Shared Services’ também não comentaria sobre qualquer fornecedor particular de equipamentos.

Na segunda-feira, o Comitê Especial Permanente para a Inteligência da Câmara dos Representantes dos EUA divulgou um relatório que levantou preocupações de que a Huawei e sua colega chinesa provedora de telecomunicações, a ZTE, estariam envolvidas em espionagem. “A Huawei, em particular, oferece respostas evasivas, insatisfatórias ou incompletas a questões que estão no centro das preocupações de segurança abordadas. O fracasso dessas empresas em fornecerem respostas sobre seus relacionamentos e apoio por parte do governo chinês oferece mais dúvida quanto a sua capacidade de cumprir as regras internacionais”, disse o relatório.

Foi recomendado que o Comitê de Investimentos Estrangeiros nos Estados Unidos bloqueasse fusões e aquisições da Huawei e da ZTE nos EUA e que o governo se abstenha de utilizar equipamentos de tais empresas para seus sistemas. O relatório também pediu que o setor privado buscasse outros fornecedores de produtos de telecomunicações.

Os EUA têm enfrentado constantes ataques cibernéticos da China nos últimos meses. O Canadá sofreu ataques cibernéticos que teriam sido originados da China, visando vários departamentos, no início de 2011. Mike Rogers, presidente do comitê de inteligência, disse à CBC que o Canadá estava igualmente em risco de ataques cibernéticos chineses.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas