Empresa brasileira leva solução inédita em Defesa & Segurança para LAAD 2019: A Blindagem Elétrica

Em sua estreia na LAAD, empresa brasileira inova no segmento e agrega eletricidade (não letal) à blindagem de veículos e estabelecimentos

Por Defesanet

A empresa brasileira IS (Indústria da Solução) estreia na LAAD 2019 com uma solução inédita para o mercado de Defesa & Segurança, a Blindagem Elétrica. Com uma tecnologia diferenciada que congrega blindagem a eletricidade (não letal), a IS pretende atender tanto ao setor de Defesa, quanto civil, focando na segurança de cargas, residência, contêiner ou qualquer superfície, que exija proteção.

A empresa surgiu em 2014. O sócio diretor da IS, Tarcísio Melo, explica que de lá para cá vem investindo ainda mais no aprimoramento da tecnologia e também na busca de um parceiro para produção em larga escala. Mas, o produto (uma manta energizada) já está rodando pelo Brasil, por meio de uma transportadora parceira, que começou a testar o produto e, hoje, já está usando a solução.

A tecnologia da blindagem elétrica consiste em utilizar descargas elétricas, sempre de maneira não letal, para elevar a dificuldade da prática criminosa. No caso dos caminhões, por exemplo, as faces (carroceria) recebem a aplicação da manta que, ao início de uma tentativa de invasão, expõem o “assaltante” ao choque. O produto, porém, não coloca em risco passageiros que estiverem no carro.

Outro ponto importante é o peso. Segundo Melo, a manta chega a ser até 40% mais leve do que os produtos utilizados para o mesmo fim em caminhões. “Mas, sem dúvida, a diferença da blindagem elétrica não está no peso, mas sim no nível de dificuldade para realização da prática criminosa, uma vez que a pessoa fica 100% do tempo exposto ao choque durante a sua tentativa de transpor as superfícies, fato que não acontece com as blindagens originais.”

Melo acredita que muito em breve essa solução ganhe mais adeptos, por conta da eficiência. Segundo ele, a capacidade de produção vai depender muito da empresa parceira. A primeira empresa que fez o licenciamento para produção prevê uma estimativa da capacidade de entrega de 50 caminhões mês até o final do primeiro ano.

“Estamos muito animados. E a cada momento identificamos novos mercados e acreditamos muito no crescimento do negócio. A solução nasceu inicialmente para um segmento no Brasil, mas outros países têm os mesmos problemas que temos aqui, e isso nos faz acreditar que é questão de tempo para a internacionalização do produto”, conclui Melo.

O projeto da blindagem elétrica já tem pedidos de patentes em 5 países, incluindo o Brasil — sendo 3 com cartas de registro emitidas. Também foi vencedor do maior prêmio de inovação da América Latina, o Acelera Start Up, da Fiesp, em 2015, dentre outros processos pelo Brasil.

 
Matérias Relacionadas