Emoções excessivas afetam a energia e o organismo

Na sociedade de hoje, as pessoas têm de lidar com o estresse. Uma quantidade adequada de estresse é saudável, mas o estresse excessivo leva a problemas de saúde física e mental. As pessoas têm sete estados de espírito: alegria, raiva, preocupação, solidão, tristeza, medo e pânico. Em circunstâncias normais, estes não causam doenças. No entanto, o excesso de emoção causa desconforto corporal.

A medicina chinesa acredita que o verdadeiro objetivo da saúde é manter o equilíbrio fisiológico e psicológico o tempo todo. Um estado de espírito moderadamente agradável equilibrará o qi (energia) e o sangue. As emoções excessivas afetam os órgãos internos, causando o caos do qi visceral, o que leva às doenças.

Os perigos das emoções excessivas

Quando as pessoas estão excessivamente felizes, o qi do coração se afrouxa e suas mentes ficam desordenadas. As batidas do coração, a insônia e os desequilíbrios mentais podem aparecer. Se for severo, elas podem rir sem parar e moverem-se sem rumo certo. Isto é: “a felicidade excessiva leva à perda de qi” e “a felicidade excessiva danifica o coração”.

Quando as pessoas ficam com medo, o qi do coração fica desordenado, causando pânico, palpitações, insônia, ansiedade e até distúrbios mentais, o que é chamado de “o pânico leva o qi ao caos”.

Quando as pessoas estão irritadas, tornam-se impacientes, têm dores de cabeça, o rosto fica vermelho, e pode-se inclusive desmaiar. Isso pode afetar o baço e o estômago, dando lugar a sintomas como vômitos e perda de apetite. Isto é chamado de “a cólera conduz o qi para cima” e “a cólera lesiona o fígado”.

Com tristeza excessiva, uma pessoa fala com voz baixa e não é capaz de falar com força, fica depressiva, sente opressão no peito e falta de ar, o que é chamado de “a tristeza leva ao desaparecimento do qi”, “a preocupação leva a um qi pessimista” e “a tristeza danifica os pulmões”.

Com medo excessivo, as pessoas ficam pálidas, têm tonturas, ou até mesmo podem sofrer um colapso. Alguns terão incontinência urinária. Isto é chamado de “o medo leva o qi para baixo” e “o medo danifica os rins”.

Quando uma pessoa parece estar dolorida, é preciso um médico adequado, mas não se esqueça de regular as emoções. Para ser saudável, o primeiro e mais importante ponto é cultivar o coração.

Fazer exercícios adequados, ter uma dieta apropriada e manter o temperamento calmo são os ingredientes ideais para uma vida sã.

Meiyi Li é doutora em Medicina Tradicional Chinesa (MTC).

 
Matérias Relacionadas