Em Davos, Trump critica ‘profetas da fatalidade’ climática

Por EFE

Davos (Suíça), 21 jan – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez nesta terça-feira no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, um apelo contra o que chamou de “profetas da fatalidade” que pedem ações contra a mudança climática.

No mesmo dia em que a ativista sueca Greta Thunberg participou do evento, Trump acusou os que lutam contra a crise climática de serem os mesmos “alarmistas” que buscam “a mesma coisa”, que segundo ele é “poder absoluto” e controle sobre “todos os aspectos” da vida dos outros.

“Nunca deixaremos os radicais socialistas destruírem nossa economia ou erradicarem nossa liberdade”, disse o presidente americano em um discurso no qual também se vangloriou de que os EUA têm o “ar mais limpo dos últimos 40 anos”.

Trump também disse que os Estados Unidos estão se aproximando de objetivo de ser “independente em energia” e comemorou que o país não precise mais importar energia de nações “hostis” e seja o maior produtor mundial de petróleo e gás do mundo.

O presidente americano anunciou ainda o compromisso dos EUA de aderirem à iniciativa de plantação de 1 trilhão de árvores promovida pelo Fórum Econômico de Davos e disse que está “comprometido” em “preservar a majestosidade da criação de Deus e a beleza do mundo”.

Trump reiterou que “este não é um momento de pessimismo, mas de otimismo” e pediu aos participantes do Fórum de Davos para que continuem a avançar em direção ao progresso, rejeitando as previsões climáticas mais negativas.

 
Matérias Relacionadas