Elon Musk diz que vai tirar banimento de Trump do Twitter após assumir a empresa

Musk disse que foi um erro o Twitter suspender a conta do ex-presidente

Por Jack Phillips 

Elon Musk sugeriu nesta terça-feira que suspenderá a proibição do Twitter ao ex-presidente Donald Trump após fechar um acordo para comprar o Twitter e torná-lo privado.

Musk, que é CEO da SpaceX e da Tesla, disse que foi um erro o Twitter suspender a conta do ex-presidente no começo de 2021. 

Quando questionado ao vivo durante o evento Future of the Car, organizado pelo Financial Times, se ele permitiria que Trump voltasse à plataforma de mídia social, Musk descreveu a proibição de Trump como moralmente errada e “absolutamente estúpida”.

“Então, acho que a resposta é… eu reverteria a proibição permanente”, disse Musk, alertando que ele “[não] possui o Twitter ainda”.

“Os banimentos permanentes devem ser extremamente raros e realmente reservados para contas que são robôs, fraudes, contas de spam”, acrescentou Musk, estimado como a pessoa mais rica do mundo com um patrimônio líquido de mais de US $260 bilhões. “Acho que não foi correto banir Donald Trump. Acho que foi um erro… Isso alienou uma grande parte do país e não resultou em Donald Trump não ter voz”, disse ele.

Suspensões permanentes, ele argumentou, minam a confiança no Twitter: “Se houver tweets errados e ruins, eles devem ser excluídos ou tornados invisíveis, e uma suspensão – uma suspensão temporária – é apropriada, mas não um banimento permanente”.

Depois que foi anunciado no mês passado que Musk compraria o Twitter por US $44 bilhões, Trump disse a vários meios de comunicação que não voltaria ao Twitter, plataforma onde acumulou mais de 80 milhões de seguidores. Em vez disso, Trump disse que se concentraria em seu empreendimento, a rede social Truth Social.

Musk disse que enfatizaria a liberdade de expressão e lançaria novos recursos assim que assumir o controle do Twitter. Fechar tal acordo pode levar meses, e a administração do Twitter, incluindo o CEO Parag Agrawal, ainda está no comando da empresa.

“Não vou no Twitter, vou ficar na verdade”, disse Trump à Fox News em 25 de abril. “Espero que Elon compre o Twitter porque ele fará melhorias nele e ele é um bom homem, mas vou permanecer na Truth”.

Nos últimos anos, o Twitter atraiu críticas por suspender e visar usuários conservadores e republicanos, como Trump, com o próprio Musk escrevendo na segunda-feira que a empresa mostrou um viés de esquerda. O Twitter também baniu permanentemente a conta pessoal da Deputada Marjorie Taylor Greene (republicana da Geórgia), o crítico de vacinas contra a COVID-19, Dr. Robert Malone, o CEO da MyPillow Mike Lindell, o ex-assessor da Casa Branca Peter Navarro, o tenente-general aposentado Michael Flynn e muitos outros.

A empresa de mídia social com sede em São Francisco também adotou regras que favorecem as visões de esquerda, incluindo a proibição do uso de certos pronomes para se referir a pessoas que afirmam ser transgênero.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas