Eliminando conteúdo online, negócio de enriquecimento rápido na China

Uma pilha de RMB totalizando 300 mil yuanes (cerca de 47 mil dólares). (Weibo.com)

Excluir mensagens online se tornou a mais recente oportunidade de enriquecimento rápido na China. Alguns portais têm o que chamam de empresas caseiras de relações públicas, que pagam clientes para apagar mensagens desagradáveis. Um recente escândalo envolvendo estrelas pornôs japonesas elevou os preços de apagar conteúdo.

Em maio, após a Companhia Petroquímica de Sichuan, PetroChina, anunciar um projeto de 38 bilhões de yuanes (6,06 bilhões de dólares), a Corporação Shimadzu do Japão e sua representante em Pequim, o Grupo HED Pequim, teria ganhado um contrato para fornecer máquinas de cromatografia com uma oferta baixa pelo negócio e então subornou funcionários convidando-os e a um empreiteiro para o Japão, onde as melhores atrizes pornôs japonesas os entretiveram. O escândalo se tornou viral na internet.

Uma fonte disse ao Epoch Times que investigadores da PetroChina descobriram que a corrupção na Sichuan Petroleum & Chemical era pior do que o público imaginava. Porque envolvia executivos na PetroChina com altas conexões, a investigação teve de parar. Além disso, a PetroChina pagou para ter todas as postagens online sobre o escândalo excluídas.

O Epoch Times soube que para eliminar todas as postagens sobre o escândalo, a PetroChina, até agora, gastou 37 bilhões de yuanes (5,9 bilhões de dólares). Estima-se que o custo total para apagar as postagens será superior a 50 bilhões de yuanes (7,98 bilhões de dólares). O oficial chinês implicado teria posição muito mais elevada do que o CEO da PetroChina. O escândalo atinge o nível mais alto da política chinesa.

O Boxun, um website em língua chinesa fora da China, informou que um alto executivo numa empresa popular de relações públicas na internet disse que a principal fonte de renda dos fóruns de internet e websites de blogue não é a publicidade, mas a exclusão de mensagens.

“O negócio de exclusão de conteúdo online é tão bom agora que muitos websites que estavam perdendo dinheiro nos últimos anos se tornaram rentável em apenas um mês”, disse o executivo. Esta rentabilidade súbita foi a contribuição do escândalo da PetroChina, disse ele.

Liu Hu, um repórter do New Express Daily de Guangzhou, escreveu em seu microblogue Sina em 14 de outubro, “O proprietário de uma mina de ouro na província de Shaanxi me enviou uma mensagem. Ele me pediu para excluir uma de minhas postagens e todos os artigos relacionados, porque isso tem sido uma dor de cabeça para alguns oficiais de alto escalão. Em troca, serei pago regiamente, tanto quanto o valor na foto em anexo. Meus amigos, devo apagar ou não?”

A imagem fornecida mostrava uma pilha de RMB valendo cerca de 300 mil yuanes, cerca de 47 mil dólares.

A dor de cabeça gerada pela postagem de blogue no sohu.com é intitulada “Comitê de Inspeção Disciplinar da província de Shaanxi dá mina de carvão de graça”. Wang Erxiao, de Fugu na província de Shaanxi, administrava uma mina de carvão com um oficial que se aposentou em 1979. Wang Erxiao possuía um terço do negócio.

Os dois disputaram o acordo de propriedade e lutaram em ações judiciais municipais, distritais e provinciais. Wang Erxiao perdeu todos os processos.

Então, Wang Erxiao forjou uma “carta do povo”, enviou-a para um oficial de nível provincial e recebeu uma resposta. O Comitê de Inspeção Disciplinar provincial interveio e, eventualmente, ajudou Wang Erxiao a ganhar a propriedade da mina. Oficiais da Comissão de Inspeção Disciplinar teriam recebido ações da mina, segundo a mensagem de blogue de Liu Hu.

A postagem do Weibo de Liu Hu atraiu muita atenção. Fu Liang, um analista de comunicações de Pequim escreveu, “vamos cavar em torno deste blogue valioso e republicá-lo para que possamos ficar ricos”. Muitos outros ecoaram sua sugestão.

Devido ao rápido desenvolvimento da internet, a exclusão de conteúdo negativo em portais, salas de chat, fóruns, sites de compartilhamento de vídeo e áudio, wikis, blogues e buscadores é um negócio emergente. Algumas empresas que apagam mensagens oferecem “garantia por toda vida” para o conteúdo excluído, segundo um artigo de 6 de agosto do Diário Metropolitano do Sul.

O Diário disse que um serviço oferece eliminação lenta e exclusão rápida. A eliminação lenta leva de 1-3 dias úteis e custa 1.200 yuanes (192 dólares) por mensagem para empresas e 800 yuanes (128 dólares) por mensagem para indivíduos. A exclusão rápida leva de alguns minutos até mais de 10 minutos, ou 1.100 segundos, e custa cerca de 2.500 yuanes (399 dólares) por postagem.

De acordo com o artigo, portais como o Sina.com e o Tianya.cn são mais caros do que outras plataformas online. O custo para apagar uma mensagem num portal custa em média 2.500 a 3.800 yuanes (399 a 606 dólares). Alguns cobram mais de 10 mil yuanes (1.596) por postagem.

Um profissional experiente em “excluir postagens” disse ao Diário Metropolitano do Sul que o padrão das taxas de exclusão depende principalmente do tipo de sites e da popularidade da postagem.

Epoch Times publica em 35 países em 19 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas