Eleição da Venezuela é ‘uma farsa política’, diz Pompeo

Por Brehnno Galgane, Terça Livre

Nesta segunda-feira (7), após o suposto ato democrático de escolher um representante para o país venezuelano neste último final de semana, o secretário de Estado Mike Pompeo condenou a eleição para o Congresso da Venezuela como “uma farsa política”.

“Em 6 de dezembro, o regime ilegítimo de Maduro na Venezuela encenou uma farsa política que pretendia parecer eleições legislativas. Felizmente, poucos foram enganados”, afirmou Pompeo em um comunicado.

E Pompeo continuou dizendo que “os Estados Unidos, com várias outras democracias ao redor do mundo, condenam essa farsa que falhou em atender a qualquer padrão mínimo de credibilidade.”

“Maduro descaradamente fraudou essas eleições em seu favor por meio da apreensão ilegal de nomes de partidos políticos e logomarcas eleitorais, manipulação do processo por seu conselho eleitoral leal, violência e intimidação, e outras táticas antidemocráticas”, declarou Pompeo.

Pompeo declarou que os Estados Unidos continuariam a reconhecer o presidente interino

Juan Guaidó, ex-presidente da Assembleia Nacional e presidente interino da Venezuela reconhecido pelos Estados Unidos, e a legítima Assembleia Nacional.

“Nem Maduro, nem uma nova Assembleia Nacional eleita de forma fraudulenta representarão a voz legítima do povo venezuelano, que deve ser expressa através de eleições presidenciais livres e justas”, concluiu Pompeo.

Pompeo também escreveu no Twitter que a eleição da Venezuela foi “uma fraude e uma farsa, não uma eleição”.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

 
Matérias Relacionadas