Egito revela múmia de 2.500 anos em cemitério perdido

Arqueólogos egípcios descobriram o local há um ano e meio e a escavação continua

Por Reuters

O Egito revelou múmia de 2.500 anos de um sumo sacerdote, em um antigo cemitério ao sul do Cairo.

O egiptólogo, Zahi Hawass, e uma equipe egípcia, abriram três sarcófagos selados da 26ª dinastia, na segunda-feira, 8 de abril.

Um continha a múmia bem preservada de um poderoso sacerdote, envolto em linho e decorado com uma figura dourada representando Ísis, uma deusa egípcia.

A equipe também abriu dois outros sarcófagos, um contendo uma múmia feminina decorada com contas azuis e outra com um pai em um túmulo familiar. Os achados foram revelados ao vivo no Discovery Channel.

No local do enterro na província de Minya, a equipe também encontrou uma cabeça de cera rara.

Arqueólogos egípcios descobriram o local há um ano e meio e a escavação continua.

Hawass disse à Reuters, antes de os sarcófagos serem abertos, que ele espera que mais túmulos sejam encontrados lá.

Em 1927, um enorme sarcófago de calcário foi encontrado na área e colocado no Museu Egípcio, no Cairo, mas o local foi esquecido, disse Hawass.

Mas há dois anos, um escavador não autorizado foi encontrado no local, disse ele. Foi isso que alertou os arqueólogos e a escavação começou.

Por Seham Eloraby e Aiden Nulty

 
Matérias Relacionadas