Duas mulheres morreram durante fortes ondas no Peru após erupção vulcânica em Tonga

Violenta erupção de vulcão submarino perto de Tonga causou tsunami e disparou alarmes em outras nações

Por Agência EFE 

Duas mulheres morreram afogadas em uma praia no norte do Peru durante as fortes ondas que afetaram a costa peruana no sábado, após a erupção vulcânica perto da ilha de Tonga, no Oceano Pacífico, informaram fontes oficiais.

“Lamentamos o sensível falecimento de duas pessoas, encontradas sem vida por membros da delegacia de polícia de San Martín, na praia de Naylamp, quando as ondas estavam anormais”, informou a Polícia Nacional do Peru (PNP) no Twitter.

Por sua vez, o chefe da polícia municipal da província nortenha de Lambayeque, Dalmiro Velásquez, explicou que as mulheres morreram afogadas na tarde de sábado na praia de Naylamp, onde haviam chegado com seus familiares.

Velásquez afirmou à emissora da RPP que as mulheres aparentemente foram arrastadas pela forte corrente que apareceu naquela praia, que fica longe da cidade e raramente é visitada.

A erupção vulcânica perto da ilha de Tonga, no Oceano Pacífico, gerou ondas anormais no sábado em toda a costa do Peru, onde foram registradas inundações em balneários e cidades costeiras.

Dezenas de banhistas que se dirigiram à praia Agua Dulce, no distrito de Chorrillos, em Lima, foram retirados por funcionários municipais daquela localidade após receberem um alerta do Centro de Controle do Município Metropolitano de Lima.

Embora a maioria dos países com a costa do Pacífico tenha emitido alertas de segurança, a Direção de Hidrografia e Navegação da Marinha garantiu posteriormente que a erupção vulcânica “não iria gerar um tsunami na costa peruana”, ainda que tenha acrescentado que permaneceria sob “vigilância constante”.

Porém, tanto a mídia local quanto as redes sociais noticiaram que em Pisco, na região sul de Ica, a maré subiu pelo menos meio metro, o que levou à retirada urgente dos cidadãos das áreas próximas ao mar.

Nesse sentido, as autoridades locais declararam que 38 instalações foram afetadas pela água do mar, que entrou em restaurantes e causou danos materiais, principalmente nas áreas de Pisco Playa, Paracas, San Andrés e Yumaque.

Cidadãos também relataram nas redes sociais que houve alterações no mar no balneário Ancón, no norte de Lima, e em Punta Negra, no sul da capital peruana.

Os danos materiais devidos às “ondas anómalas” foram confirmados no domingo pela Defesa Civil, que informou ainda que a Marinha mantém o encerramento de vários portos por medidas de segurança.

O coletivo Asismet, formado por uma equipe multidisciplinar de especialistas, garantiu no Twitter que no porto de Callao foi registrada uma altura máxima de onda de 68 centímetros, enquanto no sul de Marcona atingiu 72 centímetros e no norte de Paita chegou a 65 centímetros.

A violenta erupção de um vulcão submarino perto de Tonga causou um tsunami que atingiu as costas daquela nação insular e também disparou alarmes em outras nações da região oceânica, incluindo o Chile, que registrou ondas de até dois metros em sua costa norte, a qual faz fronteira com o Peru.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas