Dor de cabeça: entenda e trate com métodos naturais

Dor de cabeça ou cefaleia é um termo genérico para as dores que afetam a cabeça, mas que apresentam muitas causas diferentes.

Não existe “a dor de cabeça”, ou uma dor de cabeça única, mas sim diversos tipos de dores de cabeça que têm causas diferentes, sintomas diferentes e que afetam partes diferentes da cabeça.

As dores de cabeça têm causas bastante diversas: emocionais/tensionais, alimentares, posturais, vasculares, climáticas, neurológicas etc. Sendo assim, raramente há um mesmo tratamento para dores de cabeça de origens diferentes.

Leia também:
Causas da cefaleia pela medicina chinesa
Fadiga visual digital afeta 70% dos adultos, diz estudo
• Acupuntura ativa analgésicos naturais do corpo

É por isso que algumas vezes os analgésicos não fazem efeito algum para melhorar os sintomas de uma cefaleia. Por exemplo, se a dor de cabeça em questão for o resultado de um distúrbio na vesícula biliar (depois de comer frituras ou alimentos muito gordurosos), o analgésico não terá nenhum resultado, mas um composto de ervas que melhora o funcionamento do fígado e da vesícula aliviará a cefaleia em questão de minutos.

Um outro exemplo pode ser a cefaleia que começa por causa de uma vertebra desalinhada no pescoço, que comprime músculos e restringe a circulação sanguínea/energética que passa pela cabeça. A pessoa sente-se um pouco enjoada, com uma dor de cabeça moderada e cansativa, mas ao tomar analgésicos não melhora, e às vezes até piora, porque o fluxo de energia para a cabeça pode diminuir ao tomar analgésicos. Porém, basta uma massagem e/ou uma manobra de quiropatia e a liberação da vertebra bloqueada alivia os músculos e desobstrui a passagem de energia e a cefaleia passa.

Enfim, existem inúmeras causas de cefaleia e cada uma exige uma abordagem e métodos específicos para sua melhora.

Neste artigo abordaremos as cefaleias mais comuns e menos graves, que acometem as pessoas sem provocar riscos sérios à saúde. Existem cefaleias ligadas a problemas graves de saúde, que normalmente têm sintomas associados, como tontura, vômitos, sangramento pelo nariz, febre, palpitações ou visão turva: essas devem imediatamente ser examinadas e tratadas por médicos, num pronto-atendimento.

Vamos dar um panorama geral, bem básico dos diferentes tipos de cefaleia.

Cefaleias tensionais/emocionais

São ocasionadas por estresse, preocupação, ansiedade, impaciência, raiva, frustração, tristeza, desânimo e outras.

Para conhecer os motivos ou estados mentais associados à cada tipo de cefaleia é preciso questionar sobre as condições emocionais nas quais a pessoa se encontra e sobre as circunstâncias e eventos que ocorreram um pouco antes do início da dor de cabeça.

Normalmente, as cefaleias devidas ao estresse, à preocupação, à ansiedade e à agitação tendem a afetar a região frontal (testa) e melhoram com chás calmantes – maracujá, lavanda, alecrim, erva-cidreira etc – , relaxamento e um descanso para desanuviar a mente.

As devidas à raiva, frustração e mágoa tendem a afetar as têmporas, as laterais da cabeça e o topo da cabeça. Um auxílo simples pode ser usar chá de camomila, boldo-do-Chile, alecrim,hortelã e alcachofra. Pode-se tomar 1 xícara 3 x ao dia.

Cefaleias alimentares

Têm origem no processo digestivo alterado, devido à tensão emocional, à ingestão de alimentos impróprios ou excessivos.

Em alguns casos, a pessoa encontra-se agitada e impaciente e come rapidamente, saindo para fazer suas coisas novamente. Seu estômago encontra-se um tanto contraido e, ao mesmo tempo, existe um excesso de agitação e tensão mental, tudo devido à sua ansiedade. O ideal é acalmar-se antes de comer, fazer uma refeição – mesmo que breve – de forma consciente e calma. Esse tipo de dor de cabeça tende a se manifestar na testa. Um chá de camomila, erva-cidreira, hortelã e alecrim pode ajudar.

Em caso de comidas gordurosas, como frituras, carnes gordas, queijos gordurosos, doces gordurosos, normalmente são a vesícula biliar, o fígado e o pâncreas que ficam sobrecarregados e afetados. Esse tipo de cefaleia apresenta-se comumente nas têmporas, mas, às vezes, também nas laterais da cabeça, na testa e no topo da cabeça. Tome chá de boldo-do-Chile, alecrim, hortelã, camomila e carqueja. Também podem ser usados compostos prontos, encontrados em farmácias, como a Camomila Digestiva (Lab. Catarinense), a Olina (lab. Wesp), a Alcachofra Composta (Infabra) e outros.

A alimentação excessiva também pode produzir cefaleias. Depois de comer em excesso numa refeição, às vezes ingerindo alimentos muito diferentes, o processo digestivo torna-se difícil e sobrecarrega órgãos como estômago, fígado, vesícula e pâncreas. O ideal é não fazer refeições tão grandes, mas comer menos e mais espaçadamente. Esse tipo de cefaleia pode apresentar-se nas têmporas, nas laterais da cabeça, na testa ou no topo da cabeça. Normalmente, a pessoa sente-se empanturrada e até com náuseas. Um chá composto por gengibre, alecrim, erva-doce, hortelã, boldo-do-Chile e alcachofra pode ajudar bastante.

Cefaleias posturais

Algumas cefaleias são causadas por bloqueios musculares e/ou articulares, que ocorrem especialmente nas regiões do pescoço, dos ombros e na região superior das costas.

Músculos, quando pressionados por uma articulação ou contraídos fortemente, podem levar a uma redução nos impulsos nervosos e na circulação sanguinea e/ou energética. Quando isso acontece nessas regiões citadas é bastante comum ocorrer uma cefaleia.

As características mais comuns desses tipos de cefaleias são: tensão muscular; dor no pescoço ou nos ombros ou na região dorsal superior; sensação de peso e cansaço na cabeça e na região muscular afetada; enjoo, fraqueza e cansaço.

Para melhorar esse tipo de cefaleia e condições associadas deve-se recorrer à massagem dos locais afetados e ao desbloqueio dos músculos e articulações envolvidas.

Normalmente, um bom massagista e/ou quiropraxista consegue resolver esse tipo de problema durante uma sessão terapêutica. Entretanto, na falta destes, uma pessoa amiga pode massagear todas as regiões envolvidas até que o problema ceda.

Outro recurso é tomar um relaxante muscular, ou tomar um chá de anis-estrelado, alecrim e hortelã. Pode-se também tomar o remédio homeopático Homeoflan (Almeida Prado), e ainda pode-se fazer um escalda-pés por 15 mintuos, o qual tende a relaxar bastante a região superior do corpo.

De qualquer modo, o objetivo é relaxar e desbloquear as estruturas afetadas, desbloqueando, por consequência, os fluxos nervoso, sanguíneo e energético que percorrem a cabeça.

Cefaleia devido a hipertensão

Normalmente, apresenta-se como uma tensão na nuca e, às vezes, no pescoço, e, em geral não é muito intensa. Entretanto, apesar de não muito intensa, pode ser o sinal de um quadro de pressão alta importante, e, por isso, deve ser acompanhada por um médico para evitar danos perigosos à saúde.

A hipertensão, especialmente quando se dá na forma de uma crise hipertensiva (pressão alta, cefaleia, náuseas, tontura, mal-estar), pode ser grave e precisa de atendimento médico urgente.

Algumas vezes, a pressão arterial se eleva sem causar sintoma algum, o que é ainda mais perigoso para a pessoa desavisada.

Enxaqueca

A enxaqueca é um tipo de cefaleia que está ligada, em geral, a condições emocionais, associada muitas vezes à hipersensibilidade a certos tipos de substâncias e estímulos.

Parece estar ligada a quadros de frustração emocional importantes e dificuldades expressivas da pessoa. Ou seja, muitas pessoas que têm enxaqueca parecem ter dificuldades de reconhecer e expressar seus sentimentos de raiva e frustração; muitas vezes isso leva a um padrão condicionado de contenção de seus sentimentos e expressões agressivas, ocasionando uma tensão entre o desejo de expressão emocional e a submissão à circunstância sentida como opressora. De acordo com a medicina tradicional chinesa, a raiva (e suas variantes: o ressentimento, a frustração e a mágoa) tensiona, bloqueia ou mesmo deprime as funções do fígado.

Os meridianos de energia do fígado e da vesícula biliar (a víscera acoplada ao fígado), passam ou fazem ligações na parte lateral da cabeça (parietal), nas têmporas e no topo da cabeça; assim, é comum que na enxaqueca, alguma dessas regiões seja o local onde ocorre a dor de cabeça.

Habitualmente, é uma dor unilateral, pulsátil e que vai aumentando até chegar a uma grande intensidade. Náuseas, hipersensibilidade à luz, ao cheiro e ao ruido também estão presentes muitas vezes. Isso leva a pessoa a escolher ficar um local protegido dos sons, da luz e de odores, enquanto a enxaqueca não termina.

Uma crise de enxaqueca pode durar mais de um dia e incapacitar a pessoa para qualquer atividade, deixando-a na cama até o fim da crise.

O tratamento da enxaqueca exige uma abordagem séria e profunda, para que se descubram os padrões emocionais/comportamentais que lhe dão origem. Ao mesmo tempo, o uso de essências florais, homeopatia, ervas medicinais e outros recursos que aliviem as tensões da pessoa e regulem o fluxo e as funções do fígado e da vesícula são muito úteis. A enxaqueca tem cura definitiva através de uma abordagem integrada, holística e natural, desde que os padrões emocionais que a originam sejam descobertos, compreendidos e transformados.

Cefaleias de origem climática

As terapias e medicinas tradicionais, como a naturopatia, naturologia, a medicina tradicional chinesa, a medicina ayurvédica, a medicina tibetana e similares sabem que alguns tipos de cefaleia são ocasionados por condições climáticas, como o frio, o calor, a umidade, o vento (quente, frio ou úmido).

O clima intenso, seja devido a qualquer um desses elementos, pode levar ao adoecimento de algumas pessoas, e, especialmente, das mais débeis.

De acordo com a medicina tradicional chinesa, o vento é o principal meio através do qual essas condições (frio, calor e umidade) podem entrar pelo corpo, já que ele se choca com a nossa pele e se insinua através dela e das depressões e aberturas presentes na superfície do corpo.

O vento pode “romper” a barreira protetora da energia defensiva do organismo, a qual está presente na superfície da pele. Na verdade, a energia defensiva extravasa do sangue (da riqueza constitucional dos alimentos que formam o sangue) e se projeta para além da pele, para fora da pele, formando um “campo” morno e de certa espessura e resistência ao redor do corpo. É por isso que a qualidade energética e nutricional do que comemos é tão importante: os alimentos frescos e ricos em nutrientes possuem grande potencial de energia vital e de elementos constituintes, o que formará um sangue forte e rico em substância e energia termica e eletromagnética.

Em condições de boa saúde, a energia defensiva pode proteger o organismo de agentes climáticos. Por outro lado, quando essa energia é pequena ou fraca, o vento penetra no organismo, levando o frio ou a umidade ou o calor consigo, desequilibrando e prejudicando as funções orgânicas.

A cefaleia ocasionada pelo vento frio costuma surgir rapidamente e ser caracterizada por dor na parte posterior da cabeça (nuca), forte tensão no pescoço e nos ombros, além disso, pode ocorrer congestão nasal. Pode ser tratada com chá de gengibre fresco, ou uma sopa quente com cebolinha, gengibre e alecrim.

A dor de cabeça ocasionada pelo vento quente também surge rapidamente e se caracteriza por uma congestão de energia quente e aumento da temperatura na cabeça, podendo ser intensa, associada à febre (em geral, mais alta), rosto vermelho, garganta inflamada e sede relevante. Um chá composto de hortelã, camomila e sabugueiro pode ajudar bastante a aliviar esse tipo de cefaleia e seus sintomas associados.

Por fim, a cefaleia devida ao vento úmido tende a caracterizar-se por dor moderada com peso na cabeça (devido ao acúmulo de úmidade na cabeça), associada a outros sintomas como congestão nasal, corpo pesado, febre (em geral baixa), fadiga e um certo entorpecimento ou confusão mental (em alguns casos). Pode-se mascar gengibre seco (já vem pronto em algumas lojas de produtos naturais), tomar um chá concetrado de gengibre, casca de mixirica, alecrim e sálvia. Deve-se evitar líquidos e aposentos úmidos.

Outros tipos de cafaleias

Existem outros tipos de cefaleia, que são causadas por agentes e condições particulares, algumas sendo bastante importantes (inflamações em alguns tecidos cerebrais, AVC, tumores no encéfalo etc) e exigindo tratamento médico especializado. Outras são condições simples e passageiras (devidas a distúrbios visuais, sinusite etc), exigindo cuidados simples.

É preciso que as pessoas deixem de tomar analgésicos e anti-inflamatórios frequentemente por causa das cefaleias, porque apenas alguns tipos de cefaleias respondem ao uso dessas substâncias. Como mostramos no artigo, as cefaleias têm causas e tratamentos bastante diferentes: aprenda a tratar as cefaleias de acordo com a sua causa.

 
Matérias Relacionadas