Documentos vazados do governo chinês sugerem graves surtos de vírus em hospitais do norte

Por Nicole Hao

Depois que dois hospitais na cidade de Harbin, no nordeste do país, sofreram um conjunto de surtos do vírus do PCC, a cidade vizinha de Mudanjiang também relatou outro grupo de surtos no Hospital Kang’an, considerado o principal hospital da cidade.

Ambas as cidades estão localizadas na província de Heilongjiang.

Documentos internos que o Epoch Times obteve recentemente também revelaram que o governo de Heilongjiang emitiu regulamentos estritos para controlar e prevenir surtos em hospitais, observando que eles deveriam tomar medidas semelhantes às da cidade de Wuhan, na região central da China, onde o primeiro surto epidêmico ocorreu.

O governo de Heilongjiang também providenciou para que um funcionário de Mudanjiang assumisse dois hospitais da cidade, sugerindo que o surto se tornou grave.

Novos surtos em hospitais

O relatório anterior do Epoch Times mostrou que as autoridades do norte da China não informaram as infecções. No entanto, mesmo olhando para as estatísticas oficiais, elas mostram que o vírus está se espalhando em vários hospitais.

Durante várias semanas, a Comissão de Saúde de Heilongjiang anunciou novos pacientes e portadores assintomáticos em Mudanjiang e Harbin quase todos os dias. A maioria deles contraiu o vírus em hospitais.

Trabalhadores médicos investigam contatos próximos de pacientes que deram positivo para ácido nucleico em Suifenhe, China, em 25 de abril de 2020 (STR / AFP via Getty Images)
Trabalhadores médicos investigam contatos próximos de pacientes que deram positivo para ácido nucleico em Suifenhe, China, em 25 de abril de 2020 (STR / AFP via Getty Images)

Em um exemplo, uma mulher com o sobrenome Gong com doença hepática que visitou o Hospital Mudanjiang Kang’an no final de março teve que ser transferida para outro hospital depois que a instituição se dedicou totalmente ao tratamento de pacientes com COVID-19.

Logo depois, ela desenvolveu os sintomas da COVID-19. O marido, Wang, que a acompanhou nas visitas, também começou a desenvolver sintomas.

Em meados de abril, ambos apresentaram resultado positivo para A COVID-19. Desde então, mais de dez pessoas que estavam em contato próximo com Gong, incluindo equipe médica e pacientes no segundo hospital em que ela estava sendo tratada, também tiveram resultados positivos.

À maneira de Wuhan

Atualmente, Mudanjiang possui três hospitais designados para A COVID-19. O Hospital Hongqi é dedicado ao tratamento de pacientes críticos e gravemente enfermos; O Hospital Kang’an é dedicado ao tratamento de pacientes em condições leves e médias; e, finalmente, o Hospital Popular Suifenhe trata portadores assintomáticos. Suifenhe também tem um hospital criado de emergência.

Suifenhe é uma cidade no nível do condado que está passando por uma segunda onda de surtos e está sob a administração de Mudanjiang.

Documentos internos do governo de Heilongjiang revelam mais detalhes sobre como os hospitais lidam com o surto.

De acordo com memorandos de uma conferência recente com autoridades de saúde de Heilongjiang em Harbin, em 15 de abril, eles disseram que encorajariam os residentes de Harbin a fazerem testes de ácido nucleico para detectar o vírus, mas teriam que pagar por seus testes.

Em outra conferência realizada em 19 de abril, as autoridades discutiram a tomada de medidas semelhantes às de Wuhan nos hospitais de Mudanjiang designados para o COVID19, de acordo com os memorandos da reunião.

Memorando da nona conferência convocada por autoridades provinciais de Heilongjiang sobre o vírus. O documento instrui os hospitais a adotarem medidas semelhantes às de Wuhan, onde o vírus apareceu pela primeira vez (Fornecido para o" Epoch Times" pela equipe interna)
Memorando da nona conferência convocada por autoridades provinciais de Heilongjiang sobre o vírus. O documento instrui os hospitais a adotarem medidas semelhantes às de Wuhan, onde o vírus apareceu pela primeira vez (Fornecido para o” Epoch Times” pela equipe interna)

 

Uma dessas medidas, por exemplo, indica que os hospitais reorganizariam sua disposição para ter três zonas: “a zona vermelha”, a zona na qual um paciente com vírus é tratado; “A zona limpa”, uma área não exposta ao vírus; e “a zona tampão”, uma área em que a equipe médica pode desinfetar e remover roupas de proteção.

Todo o pessoal médico dos hospitais designados em Mudanjiang não pode voltar para casa no momento e só pode ficar no mesmo hospital ou em um hotel designado. Por sua vez, as equipes médicas de Mudanjiang, que foram previamente enviadas para a província de Hubei em fevereiro e março para ajudar a tratar um grande número de pacientes com vírus, agora liderarão as equipes de tratamento.

A província de Hubei, cuja capital é Wuhan, é a região mais afetada da China.

Dentro dos centros de quarentena da cidade, as autoridades solicitaram que os pacientes fossem monitorados da mesma forma que os pacientes de Hong Kong, o que significa que todos devem usar uma pulseira de rastreamento eletrônico. A pulseira faz parte de um sistema de geovigilância. Quando uma pessoa sai do perímetro permitido, o sistema alerta as autoridades.

Mudanjiang também decidiu estender o período de quarentena para pessoas que retornam para a China do exterior, de 14 para 35 dias. A cidade também suspenderá temporariamente vôos e trens de e para Pequim.

Nova liderança

Um documento interno do governo de Mudanjiang, datado de 17 de abril, explica que os comitês do Partido Comunista Chinês (PCC) seriam estabelecidos no Hospital Hongqi e no Hospital Kang’an.

Zhao Rongguo, vice-prefeito da cidade, seria nomeado chefe dos comitês partidários em hospitais, com Liu Ying, diretor da comissão de saúde da cidade, como vice-prefeito.

Na China, todas as empresas estatais têm organizações partidárias instaladas para garantir que os funcionários sigam a linha do PCC. Os dois hospitais mencionados são estaduais.

O comentarista de assuntos chineses dos EUA, Tang Jingyuan, disse que a medida foi provavelmente um indicador de que “o aglomerado de surtos nos hospitais ficou fora de controle”, acrescentando que os hospitais que adotaram as medidas de Wuhan também sugeriram que o surto era muito sério.

Apoie nosso jornalismo independente doando um “café” para a equipe.

Veja também:

O Método do PCC

 
Matérias Relacionadas