Ditador da Coreia do Norte ordena cientistas construírem seu maior míssil, diz desertor

Kim Jong-un, o ditador da Coreia do Norte, ordenou que os cientistas do regime construíssem o maior foguete do país, de acordo com um desertor.

O desertor disse a um jornal japonês que o país já iniciou a produção do seu maior míssil até à data, e planeja lançá-lo no 70º aniversário da fundação da nação comunista.

O desertor anônimo disse ao jornal japonês Mainichi que Kim Jong-un orientou os cientistas da Coreia do Norte em meados de dezembro para construção do míssil, durante uma reunião de dois dias com altos oficiais militares e cientistas na capital do país, Pyongyang.

De acordo com o Telegraph, o desertor foi descrito como alguém anteriormente envolvido no programa de mísseis do regime e que se mantinha em contato com ex-colegas na Coreia do Norte.

Leia também:
• Norte-coreanos indicam que preferem ser sul-coreanos
• Soldado da Coreia do Norte que desertou é imune ao antraz
• Satélites detectam navios chineses comercializando petróleo ilegalmente com Coreia do Norte

O míssil foi designado como Unha-4, e seria uma versão maior do Unha-3.

Dois mísseis Unha-3 foram lançados com sucesso, o último em fevereiro de 2016 da Estação de Lançamento de Satélites Sohae, no Noroeste do país comunista.

De acordo com o regime, o último lançamento pôs em órbita um satélite satisfatoriamente, informou a CNN. O primeiro lançamento em 2012 não conseguiu realizar isso.

“Muitas nações, como os Estados Unidos e a Coreia do Sul, consideram que o lançamento foi um acobertamento para um teste da tecnologia de mísseis balísticos”, informou a emissora. “A Coreia do Norte, possuidora de armas nucleares, insistiu que seu objetivo era colocar um satélite científico no espaço.”

O satélite que a Coreia do Norte afirmou ter sido colocado em órbita não foi identificado por especialistas, levantando dúvidas sobre sua reivindicação de sucesso.

Coreia do Norte, Unha-3, programa nuclear, Kim Jong-un, ICBM - Um homem assiste a um noticiário retratando o discurso de Ano Novo do ditador norte-coreano Kim Jong-un, numa estação ferroviária em Seul, em 1º de janeiro de 2018 (Jung Yeon-je/AFP/Getty Images)
Um homem assiste a um noticiário retratando o discurso de Ano Novo do ditador norte-coreano Kim Jong-un, numa estação ferroviária em Seul, em 1º de janeiro de 2018 (Jung Yeon-je/AFP/Getty Images)

O Unha-3 tinha 30 metros de comprimento e era baseado na tecnologia da União Soviética. O desertor norte-coreano disse ao jornal japonês que o Unha-4 está essencialmente pronto, mas precisa ser submetido a vários testes.

“O desertor disse que provavelmente havia dois objetivos principais no lançamento de um novo míssil de longo alcance. Um seria o uso de um satélite para orientação e observação de futuros lançamentos de mísseis”, de acordo com o Asahi Shimbun. “O outro poderia ser usar o lançamento pro forma de um satélite no espaço para testar se o míssil era capaz de reentrar na atmosfera.”

Essa última novidade sobre um míssil surge poucos depois que o ditador Kim Jong-un afirmou em seu discurso de Ano Novo que ele tem um botão nuclear em sua mesa para usar a qualquer momento.

“Qualquer parte dos Estados Unidos está dentro do alcance de nossas armas nucleares, e um botão nuclear está sempre na minha mesa”, disse Kim Jong-un no discurso, informou o Epoch Times.

“Não importa o quanto a América deseje nos atacar com seu poder militar e nuclear, eles sabem que agora possuímos esse grande poder nuclear e, portanto, não se atreverão.”

Embora grande parte da verdadeira capacidade do regime esteja escondida em segredo, o diretor da CIA, Mike Pompeo, disse em outubro de 2017 que o regime parece estar a apenas alguns meses de aperfeiçoar suas capacidades nucleares.

E, no final de novembro de 2016, os especialistas indicaram que um vídeo mostrou evidências de que o regime está mais próximo do que nunca desse objetivo.

“Este é um míssil enorme”, disse Michael Duitsman, pesquisador do Centro de Estudos de Não-Proliferação, numa análise postada no Twitter. “E eu não quero dizer ‘Grande para a Coreia do Norte’. Apenas alguns países podem produzir mísseis desse tamanho, e a Coreia do Norte acaba de se juntar ao clube.”

O presidente estadunidense Donald Trump disse várias vezes nos últimos meses que os EUA responderiam à força com força caso Kim Jong-un ousasse cumprir suas ameaças de lançar de um ou mais mísseis nucleares em direção aos Estados Unidos.

NTD Television

Leia também:
• Coreia do Sul propõe diálogos com Coreia do Norte, talvez permita atletas do Norte irem às Olimpíadas
• Conselho de Segurança da ONU vota unanimemente por novas sanções à Coreia do Norte
• Cientista nuclear da Coreia do Norte se suicida após desertar para China e ser forçado a retornar

 
Matérias Relacionadas