Publicado em - Atualizado em 15/12/2017 às 1:01

Disney comprará negócios de filme e TV da Fox por US$ 52 bi

Disney, 21st Century Fox, aquisição - O logotipo da loja da Disney no Champs Elysee em Paris, França, em 3 de março de 2016 (Jacky Naegelen/Reuters)

O logotipo da loja da Disney no Champs Elysee em Paris, França, em 3 de março de 2016 (Jacky Naegelen/Reuters)

A Walt Disney Co. chegou a um acordo para comprar os negócios internacionais de filme e televisão da Twenty-First Century Fox Inc. de Rupert Murdoch por US$ 52,4 bilhões em ações, enquanto a maior empresa de entretenimento do mundo procura expandir para combater crescentes rivais digitais como a Netflix Inc. e a Amazon.com Inc.

O acordo conclui uma etapa de mais de meio século de expansão sob Murdoch, de 86 anos, que transformou um único jornal australiano, que ele herdou do pai aos 21 anos, num dos maiores conglomerados mundiais de notícias e filmes.

As ações da Fox, que subiram 35% desde que rumores sobre o acordo emergiram no início de novembro, apresentavam valores ligeiramente mais baixos na pré-comercialização de mercado.

As ações da Disney também caíram quando os investidores mostraram preocupação com a diluição do negócio total. A Disney disse que espera comprar até US$ 20 bilhões de suas próprias ações para compensar essa diluição.

Os acionistas da Fox receberão 0,2745 ações da Disney por cada ação detida e acabarão controlando cerca de um quarto da Disney.

Disney, 21st Century Fox, aquisição - Uma tela mostra informações de cotação de ações da Walt Disney Company na Bolsa de Valores de Nova York em 13 de dezembro de 2017 (Brendan McDermid/Reuters)

Uma tela mostra informações de cotação de ações da Walt Disney Company na Bolsa de Valores de Nova York em 13 de dezembro de 2017 (Brendan McDermid/Reuters)

Sob o acordo, que se espera ser finalizado em 12 a 18 meses, a Disney adquire os estúdios de cinema e televisão da 21st Century Fox, suas redes de entretenimento a cabo e empresas internacionais de TV. Esses ativos incluem alguns ícones famosos de super-heróis da Marvel que a Disney ainda não controla como os “X-Men”, mas também as franquias de “Avatar” e programas de TV como “The Simpsons”.

A presença global da Disney também se expande com a aquisição dos ativos internacionais de satélites da Fox, incluindo a rede Star TV na Índia e uma participação no provedor europeu de TV paga Sky Plc.

Leia também:
• Empresários dos EUA estão otimistas com perspectiva econômica para 2018
• Mídia dá a Donald Trump cobertura presidencial mais negativa em 25 anos
• Projeto Veritas expõe viés anti-Trump do Washington Post

A aquisição dará à Disney uma nova variedade de shows e filmes à medida que ela luta contra empresas de tecnologia que tem investido bilhões de dólares em programas exibidos online para deslocar a audiência das redes de TV tradicionais.

“Este é o movimento certo no momento certo, pois o casamento desses ativos cria uma Disney muito mais formidável”, disse Daniel Ives, analista da GBH Insights, numa nota aos clientes.

Imediatamente antes da aquisição, a Fox separará a rede e estações da Fox Broadcasting, o Fox News Channel, a Fox Business Network, seus canais esportivos FS1, FS2 e Big Ten Network, numa empresa a ser listada e apresentada a seus acionistas.

Disney, 21st Century Fox, aquisição - O logotipo da empresa Twenty-First Century Fox Studios em Los Angeles, Califórnia, em 6 de novembro de 2017 (Lucy Nicholson/Reuters)

O logotipo da empresa Twenty-First Century Fox Studios em Los Angeles, Califórnia, em 6 de novembro de 2017 (Lucy Nicholson/Reuters)

A “nova” Fox destina-se a expandir e se concentrar em notícias e esportes ao vivo, disse a Fox.

“Isso nasce de uma importante lição que aprendi na minha longa carreira na mídia: ou seja, que o conteúdo e as notícias relevantes para os espectadores serão sempre valiosos”, afirmou Murdoch, o presidente executivo da 21st Century Fox.

O chefe executivo da Disney, Bob Iger, de 66 anos, estenderá seu termo até o final de 2021 para supervisionar a integração dos negócios da Fox. Ele já adiou sua aposentadoria da Disney três vezes, dizendo em março que estava empenhado em deixar a empresa em julho de 2019.

“Isso nos dá a chance de casar o excelente conteúdo da Fox com o excelente conteúdo da Disney, isso nos dá uma presença internacional muito maior e nos permite usar tecnologia de ponta para servir os consumidores de maneiras muito mais atraentes”, disse Iger no programa “Good Morning America” ​​da ABC.

Iger disse que nova tecnologia seria necessária para satisfazer as demandas dos espectadores que desejam acessar o conteúdo a qualquer momento. O serviço-direto-ao-consumidor é uma prioridade da empresa, acrescentou.

A Disney também assumirá cerca de US$ 13,7 bilhões em dívida líquida do negócio da Fox.

Por meio da participação da Fox no serviço de transmissão de vídeo Hulu, a Disney assumiria o controle majoritário de um dos principais concorrentes da Netflix Inc. Hulu também é parcialmente de propriedade da Comcast Corp. e da Time Warner Inc.

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016