Diretrizes de linguagem sem gênero nas escolas é revertida pelo governo da Austrália

Segundo as diretrizes professores podem ser proibidos de chamar os alunos de “meninos e meninas”

Por Nina Nguyen 

O governo do Território do Norte (NT) da Austrália reverteu sua decisão de introduzir linguagem de gênero neutra nas escolas depois de ser criticada por “tentar aplicar uma ideologia marxista” no sistema educacional.

Segundo as diretrizes preliminares sobre diversidade sexual, sexualidade e identidade de gênero promovidas pelo Departamento de Educação do NT, os professores podem ser proibidos de chamar os alunos de “meninos e meninas” ou “senhoras e senhores”, pois é percebido como uma confirmação de “estereótipos de gênero” que podem ser “alienante para o questionamento de gênero e crianças com diversidade de gênero”.

O documento vazado, publicado pela Sky News na terça-feira, sugere que os professores poderiam “evitar isso usando vocabulário como ‘alunos’, ‘classe’, ‘equipe’, ‘pessoas’ ou ‘ano X’ que são mais inclusivos”.

Sob o plano, as escolas seriam solicitadas a não separar as crianças com base em seu gênero para eventos esportivos e serem “flexíveis em relação ao tipo de roupa e participação”.

A medida também garantiria que os alunos que frequentam acampamentos escolares pudessem acessar banheiros, chuveiros e dormitórios de seu “gênero afirmado” – que se refere ao gênero que eles escolhem para si.

“Ao considerar excursões escolares, incluindo pernoites, o professor responsável pela excursão deve consultar os alunos LGBTQI, pais e equipes de apoio para confirmar as preferências.” 

As diretrizes alertaram ainda que as preocupações de outras crianças podem ser consideradas uma forma de bullying.

“Se uma criança ou seus colegas não concordarem que se sentiriam seguros e confortáveis ​​em compartilhar, busque soluções alternativas e reconheça que isso é uma indicação de possível comportamento excludente e potencial bullying contra a criança LGBTQI.”

No entanto, em um movimento surpreendente, a vice-ministra-chefe do NT, Nicole Manison, anunciou na quarta-feira que o governo “não proibirá o uso da palavra meninos e meninas nas escolas – absolutamente não”.

“Não vamos parar de ter corridas de meninas ou corridas de meninos ou times esportivos femininos ou times esportivos masculinos. Não é isso que vai acontecer.”

A líder política do Território do Norte, Jacinta Nampijinpa Price, fala em um evento (Fornecido)
A líder política do Território do Norte, Jacinta Nampijinpa Price, fala em um evento (Fornecido)

A volta atrás veio depois que a candidata do Partido Liberal do País ao Senado e ex-vice-prefeita de Alice Spring Jacinta Price denunciou as diretrizes como o politicamente correto enlouquecido.

“Estou surpresa que o governo Gunner considere tentar aplicar qualquer ideologia marxista em nosso sistema escolar aqui no Território do Norte”, disse ela à Sky News em 18 de abril.

Dadas as terríveis taxas de frequência escolar em comunidades remotas, “isso mostra que as prioridades do Governo do Território do Norte estão todas confusas”, observou Price.

Em uma postagem no Facebook no mesmo dia, ela argumentou: “Você não eleva um grupo minoritário de pessoas diminuindo e forçando a maioria a se conformar – isso não é igualdade ou educação”.

“Eles vão insistir que minha família Warlpiri pare de usar Karnta para feminino e Wirrdiya para masculino porque a ideologia marxista ocidental sem qualquer base científica decidiu que esses termos são estereótipos de gênero?! Eu acho que não!”

Embora o documento ainda esteja sujeito a um processo de revisão, ele já foi endossado pela ministra da Educação do NT, Lauren Moss, que descreveu as diretrizes como um movimento importante para criar “ambientes inclusivos para todos os alunos”.

“Sabemos que muitas vezes esses alunos são jovens e crianças que sofrem maiores níveis de danos ou maiores níveis de isolamento ou maiores níveis de bullying e precisamos ter certeza de que estamos trabalhando juntos como uma comunidade escolar para apoiar todos os nossos alunos e certifique-se de que todos se sintam bem-vindos”, disse ela na terça-feira, segundo a Sky News.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas