Diplomas falsos vendidos por universidades de Pequim

Graduandos fazem fila para receber seus diplomas na Universidade Kade, na periferia de Pequim (Ed Jones/AFP/Getty Images)

Diplomas falsos de universidades chinesas fantasmas que imitam documentos autênticos de instituições legítimas são provavelmente emitidos por uma das fábricas de certificados de Pequim, diz a mídia chinesa Economic Observer.

Um serviço chinês para candidatos universitários, o Shangdaxue, compilou uma lista de 100 instituições fraudulentas, sem autorização ou certificação, que vendem diplomas falsos que parecem legítimos, informou o Economic Observer. De acordo com o Shangdaxue, 70 delas operam em Pequim.

Apenas 43 instituições privadas de tempo integral e 24 de meio período em Pequim estão registradas legalmente para oferecer diplomas, mas as 70 escolas listadas pelo Shangdaxue não estão entre elas.

Na China, onde um vestibular esgotante elimina muitos candidatos, a compra de diplomas forjados não é incomum. Essas “universidades de galinhas selvagens”, como são chamadas na China, usam imagens editadas em Photoshop de instituições genuínas em seus sites, além de pomposos nomes oficiais. Às vezes, os sites ainda apresentam imagens manipuladas de estudantes, disse à mídia The Economist.

Embora sites fraudulentos aleguem os ser sites oficiais das instituições, 90% deles opera vários sites idênticos sob nomes de domínios diferentes e mais de 20 levanta informações diretamente de sites de escolas legítimas e copiam para seus sites falsificados.

O Economist relatou no ano passado que “quase qualquer um na China pode comprar um diploma falso”, sejam alunos aspirantes ou empresários que querem engordar suas qualificações. Xiong Bingqi, da Universidade Jiaotong em Shanghai (uma universidade genuína), disse ao The Economist: “O povo chinês valoriza mais ter um diploma do que ter verdadeira educação.” E acrescentou: “Um diploma vale dinheiro real, enquanto a educação não.”

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas