Dinamarca torna-se primeiro país europeu a oferecer 4ª dose da vacina contra COVID-19

Agência Europeia de Medicamentos expressou preocupação com o uso de uma quarta dose

Por Mimi Nguyen Ly 

O governo dinamarquês anunciou, na quarta-feira, que disponibilizará uma quarta dose da vacina contra a COVID-19 para seus cidadãos no final desta semana, tornando a Dinamarca o primeiro país da Europa a introduzir um segundo reforço.

“Quanto mais disseminada a infecção na sociedade, maior o risco de que a infecção atinja os mais vulneráveis”, declarou o ministro da Saúde, Magnus Heunicke, em entrevista coletiva.

“Estamos agora embarcando em um novo capítulo, ou seja, a decisão de oferecer a quarta injeção aos cidadãos mais vulneráveis”, afirmou ele a repórteres. Para este grupo foi oferecido um reforço inicial no outono.

O governo ainda não decidiu se oferece outra dose para idosos e residentes de casas de repouso.

O regulador de medicamentos da União Europeia, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA na sigla em inglês), expressou preocupação com o uso de uma quarta dose das vacinas atuais contra a COVID-19, acrescentando que não há dados para apoiar a “vacinação repetida em intervalos curtos” como uma medida sustentável de longo prazo.

Mais dados sobre o efeito da atual dominante variante Ômicron nas vacinas e uma melhor compreensão da evolução da onda atual são necessários para decidir se uma vacina específica da Ômicron é necessária, afirmou o chefe de estratégia de vacinas da EMA, Marco Cavaleri, na terça-feira.

O anúncio da Dinamarca de oferecer uma quarta dose ocorre junto com a decisão dos legisladores que concordaram em aliviar as restrições no final da semana, já que as taxas de hospitalização e mortes se estabilizaram, apesar do aumento nos casos.

As autoridades impuseram as restrições no mês passado, declarando que as medidas eram necessárias para conter a disseminação da Ômicron.

A Dinamarca tem uma população de 5,8 milhões. O país informou que 3.433 pessoas morreram após contrair a COVID-19. Mais de 1 milhão de casos de COVID-19 foram registrados no país, com mais de 90% deles relatados nas últimas semanas, em meio à disseminação da Ômicron.

Embora as infecções sejam altas, as internações hospitalares e as mortes permanecem em níveis abaixo dos picos observados no ano passado.

“Estamos em uma posição melhor do que esperávamos e temíamos”, afirmou Soren Brostrom, chefe da Agência de Saúde Dinamarquesa. “Agora podemos dizer com muito mais certeza que essa nova variante do vírus, que agora é a predominante, causa doenças menos graves”.

Teatros, cinemas, museus, locais de música, parques de entretenimento e jardins botânicos devem reabrir, e espectadores limitados poderão participar de eventos esportivos internos e externos.

Outros países que introduziram a quarta dose são Israel e Chile. No Canadá, o governo de Ontário disponibilizou a quarta dose para idosos.

Enquanto isso, a Hungria, também membro da UE, afirmou que está considerando uma quarta dose.

A Reuters contribuiu para esta reportagem.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas