Desintoxicação e rejuvenecimento orgânico na entrada da primavera

Nossa vida nos ensina a não comer sempre corretamente, a consumir produtos tóxicos frequentemente, apesar de nossa vontade. O sedentarismo piora a situação, pois quando não nos movimentamos muito, a circulação sanguínea e linfática funcionam lentamente, e é mais difícil para que o organismo elimine as toxinas. É por isso que cada vez mais médicos naturopatas aconselham seguir um tratamento de desintoxicação na primavera e no outono.

Existem plantas, vitaminas, algas e oligoelementos que ajudam o corpo a eliminar toxinas. Mas nós não vamos falar disso. Vamos falar sobre os jejuns. Há o jejum completo: não comemos nada, bebemos água e praticamos atividades físicas. É um jejum que deve obrigatoriamente ter supervisão médica. Na Alemanha, na Rússia e também na Suíça, hospitais são especializados e curam certas doenças com excelentes resultados através desse método.

Tratamentos drásticos como o método do limão, pimenta e xarope de boldo, por exemplo, não devem mais ser praticados como tais. Lembremos que um jejum não emagrece. Um jejum permite ao organismo descansar, limpar-se para voltar em plena forma. Essa técnica é utilizada desde tempos antigos e ocorre espontaneamente quando ficamos doentes, por exemplo. Mas privar-se de comida e continuar a viver normalmente nos coloca em perigo. Nosso corpo enfraquece, nós perdemos concentração, o que pode nos levar a nos acidentarmos ou a termos menos eficácia no nosso trabalho. A privação de alimento provoca facilmente compulsões alimentares e quando o jejum acaba, os efeitos obtidos são reduzidos a nada.

Aqui estão vários jejuns propostos por Gattari-Meyer, nutriterapeuta graduada. Ela aconselha seguir por 10 dias ou 10 domingos. Se você fizer o tratamento de 10 domingos, não coma o que não está prescrito no tratamento aos domingos, e coma levemente o resto da semana. Se você fizer o tratamento por 10 dias, de manhã você come frutas, ao meio-dia legumes com carne branca ou peixe. Não beber estimulantes como chá ou café, nem álcool ou refrigerantes, mas beber muita água e infusão de ervas. Evitar fumar e não se esquecer de se movimentar.

Método do alho-poró

Prepare uma sopa à base de alho-poró, sem sal e, se desejar, com alguns nabos ou ervas-doces para dar o sabor. Você pode comer legumes e tomar sucos, naturais depois. Esse tratamento é diurético, rico em vitamina C e E, em provitamina A, potássio, cálcio, ferro, magnésio e tem um efeito antioxidante.

Tratamento pelo suco de legumes

O suco é preparado na centrífuga ou pode ser comprado preparado (hoje existem lojas que vendem sucos prensados de vegetais e outros). Preparação: faça suco de cenoura (com 3 cenouras) ou erva-doce (5 pedaços grandes – aqui se usa a erva doce enquanto vegetal e não as sementes de erva-doce) . Depois disso, adicione aipo, pepino, nabos, couve ou abobrinhas – tudo cru. Varie para não enjoar e para aproveitar os benefícios de cada legume. Você pode adicionar suco de dente de leão, urtiga, cavalinha, bétula ou alcachofra. Coloque água se estiver forte demais e consuma imediatamente. É um excelente limpador regenerador do organismo.

Tratamento pela couve

Consumir apenas crua, na forma de suco, com um pouco de limão, ou como salada, bem picada e temperada. Utilize, sobretudo, couve com sabor mais suave. É um excelente diurético e um poderoso revitalizante. A couve é microbicida, ela limpa os intestinos, luta contra a fadiga e revitaliza os tecidos cutâneos. Ela é rica em oxidases ativas, em vitamina A, B1, B2, C, PP, K, U, provitamina A, fósforo, cálcio, potássio, ferro, iodo, enxofre, magnésio, cobre e clorofila.

Tratamento pelo arroz

Trata-se de uma monodieta. Utilize unicamente arroz integral orgânico. Lave o arroz e deixe de molho por 8 horas, na forma de uma quantidade de arroz para três de água. Depois cozinhe de 30 a 40 minutos, e, se quiser, adicione especiarias como cúrcuma, noz-moscada, tomilho, sálvia, canela. Uma vez cozido, adicione sal marinho e as ervas frescas, assim como óleo do tipo misto (20% oliva 30% colza, 20% abóbora, 20% girassol, 10% noz) se tiver. Pode ser consumido frio ou quente. Conservar no refrigerador. Beber bastante água e chá de ervas. É eficaz contra a constipação (Caso haja uma forte constipação, tome uma colher do óleo misto antes de dormir noite). Começamos a sentir os efeitos depois de 5 dias. É um tratamento fácil de ser seguido.

Tratamento pelo soro Molkon Vogel

Este produto contem soro de leite de vacas dos Alpes Suíços, desproteinado e concentrado, e também ácido lácteo fermentado e potássio. Um estudo conduzido na Hollanda, feito em 430 mulheres selecionadas por diversos problemas digestivos, demonstrou os efeitos rápidos e notáveis desse tratamento. Ele diminui consideravelmente as dores de estômago, barriga inchada, acidez, inchaço, cólicas intestinais, gosto desagradável na boca, constipação e fezes moles.Diluir 20 ml do soro em 2 litros de água, em chá de ervas ou em suco de frutas. Consumir pela manhã ou ir tomando ao longo do dia. Fazer esse tratamento por cerca de 25 dias. É preciso privilegiar uma alimentação leve e sem bebidas estimulantes, durante esse período.

Existem muitos outros tratamentos. O importante é não ir a extremos.

Esses tratamentos permitem repousar o organismo e fortalecê-lo.

Doris Gattari-Meyer é nutriterapeuta graduada 
www.nutricoach.ch
info@nutricoach.ch

 
Matérias Relacionadas