Deputada Harshbarger afirma que ‘Imunidade natural é real’

Há muitas evidências de que as pessoas que se recuperaram da COVID-19 possuem imunidade natural contra a reinfecção, Rep. Diana Harshbarger afirmou

Por Zachary Stieber

Há muitas evidências de que as pessoas que se recuperaram da COVID-19 possuem imunidade natural contra a reinfecção, afirmou a deputada republicana Diana Harshbarger.

“Existem amplos estudos científicos que mostram que a imunidade natural é absolutamente uma das melhores coisas que você poderia ter – e alguns estudos até mostram que é mais eficaz [do que a vacinação]”, constatou Harshbarger durante uma recente aparição no “Capitol Report” da NTD.

A imunidade natural se refere aos anticorpos pós-recuperação que protegem um indivíduo contra a reinfecção pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), que causa a COVID-19.

Múltiplos estudos indicaram que a imunidade natural entre pacientes que anteriormente tiveram a COVID-19 é forte e semelhante ou superior à proteção obtida com as vacinas da COVID-19. Alguns especialistas têm pressionado as autoridades federais de saúde a levarem em conta a imunidade natural ao emitir recomendações e regras. Mas as autoridades federais atualmente recomendam que praticamente todos sejam vacinados, incluindo aqueles que se recuperaram, argumentando que a forte proteção fica ainda melhor quando essas pessoas tomam a vacina.

Harshbarger afirma que vários americanos têm objeções à vacinação, ao mesmo tempo em que aponta que a imunidade natural a outras doenças é aceita como alternativa.

Ela e outros dez membros da Câmara dos Representantes apresentaram na semana passada o “Ato de imunidade natural é real”, o complemento de um projeto de lei do Senado do Senador Mike Lee (R-Utah), Tommy Tuberville (R-Ala.), Mike Braun (R-Ind.) e Dan Sullivan (R-Alaska).

Isso exigiria que as agências federais “reconhecessem, aceitassem e concordassem em apresentar verdadeiramente a imunidade natural pertencente a COVID-19 de acordo com a promulgação de certos regulamentos”.

Os legisladores estão apresentando a proposta enquanto a administração do presidente Joe Biden trabalha para finalizar um regulamento que forçaria as empresas privadas com mais de 100 funcionários a obrigar a apresentação de prova de vacinação da COVID-19 ou fazer com que os membros da equipe sejam testados semanalmente para a doença. Não há opção de exclusão para imunidade natural.

Outros mandatos já estão em vigor nos níveis federal, estadual e local, levando  alguns americanos a perderem seus empregos.

Harshbarger, uma farmacêutica licenciada desde 1987, afirmou: “Li alguns dos estudos que mostram que a imunidade natural, de várias maneiras, pode ser mais eficaz. E sei que tem um estudo que mostra que o percentual de proteção é ainda melhor do que duas doses da vacina, em alguns casos. Existem muitos dados científicos que demonstram isso. Pense sobre isso. Temos imunidade contra o sarampo e a varíola, e eles aceitam isso. Por que eles não fazem isso para a COVID?”

O deputado Daniel Webster (R-Fla.) afirmou em um comunicado: “Muitos líderes médicos estão se recusando a reconhecer publicamente o que enormes dados já mostraram – a proteção concedida a indivíduos com imunidade natural é real, robusta e durável. Negar a ciência apenas contribui para a confusão, a desinformação e a desconfiança existentes entre o povo americano. Este projeto de lei ajuda a restaurar a confiança e a fé no sistema de saúde pública, ao mesmo tempo em que mantém nossa luta contra a COVID-19.”

Os outros co-patrocinadores são: Representante Jeff Van Drew (RN.J.), Chris Stewart (R-Utah), Bill Posey (R-Flórida), Mary Miller (R-Ind.), Mariannette Miller-Meeks (R -Iowa), Dan Bishop (RN.C.), Mo Brooks (R-Ala.), Madison Cawthorn (RN.C.) e Chip Roy (R-Texas).

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também: 

 

 
Matérias Relacionadas