Deputada da Espanha afirma que ‘há tsunami comunista na América Latina’

'Forças comunistas que falharam miseravelmente no século 20 encontraram um novo espaço e se disfarçaram de novas causas ou identidades'

Por Agência EFE 

A deputada do Partido Popular, Cayetana Álvarez de Toledo, afirmou na quarta-feira em um fórum na capital panamenha, que na América Latina há um “tsunami neocomunista do qual poucos países estão a salvo”.

“Na América Latina há uma nova onda de populismo de esquerda e, mais do que uma onda, é um tsunami neocomunista do qual poucos países estão a salvo”, afirmou a política espanhola durante um pronunciamento virtual em uma conferência de imprensa da Associação Panamenha de Executivos e Empresas (Apede).

Nas últimas eleições, venceram esquerdistas como Xiomara Castro em Honduras, Gabriel Boric no Chile e Pedro Castillo no Peru, e há expectativas quanto às candidaturas de Gustavo Petro na Colômbia e Luiz Inácio “Lula” Da Silva no Brasil.

“O que se trata em nossa geração é trabalhar para resgatar a política das garras sujas do populismo, que pode ser da esquerda e da direita”, afirmou Álvarez de Toledo.

“Sempre acreditamos que nosso país está a salvo desses movimentos, que só afetam os outros. Os venezuelanos falaram sobre os cubanos, os chilenos nunca imaginaram que seu país entrou em total instabilidade e incerteza inconstitucional, os peruanos em paralisia política e assim por diante”, explicou.

Álvarez de Toledo sublinhou que “os movimentos comunistas de extrema esquerda têm mantido uma superioridade e legitimidade moral (…) que não corresponde aos seus sucessos históricos e à sua capacidade de gerar riqueza”.

E “essas forças comunistas que falharam miseravelmente no século 20 encontraram um novo espaço e se disfarçaram de novas causas ou identidades”, considerou.

“A questão é, diante desses novos movimentos comunistas de esquerda radical que vêm para nos absorver governos democráticos, o que há? O que há é uma certa legitimidade, uma certa paralisia e um complexo e uma ausência de narrativas”, declarou.

Diante disso, Álvarez de Toledo propõe “travar uma batalha cultural para formar narrativas poderosas, ideológicas, políticas e sociais contra esses movimentos reacionários que estão destruindo as democracias”.

Álvarez de Toledo fará um pronunciamento virtualmente no dia 16 de fevereiro no encontro anual pela Liberdade Econômica e Empresarial, organizado pela Apede, onde será a palestrante internacional do evento, que tem como lema “fortalecer a constitucionalidade e os princípios democráticos, combater o populismo em defesa das liberdades empresariais individuais”.

Entre para nosso canal do Telegram

Assista também:

 
Matérias Relacionadas