Demitido, ex-chefe da AGU afirma que governo quer abafar Lava Jato

Foi demitido do cargo nesta sexta-feira (9) o advogado-geral da União, Fábio Medina Osório. Ele afirmou que o motivo da exoneração foi o provável desagrado do Palácio do Planalto com providências adotadas pela AGU contrárias a políticos sob investigação da Lava Jato, inclusive parlamentares aliados do governo Michel Temer. Horas após Medina exigir de sua equipe celeridade nas medidas para levar a juízo ações de improbidade administrativa contra perpetradores de desvios na Petrobras e outros órgãos, o desligamento foi determinado.

A AGU pediu permissão ao Supremo Tribunal Federal para analisar inquéritos que investigam a atuação de membros da base aliada do governo no esquema descoberto pela Lava Jato. Medina afirmou que não teria havido concordância da Casa Civil com o pedido, pois havia o receio de um “incidente político” com apoiadores no Congresso. “O governo quer abafar a Lava Jato”, declarou Medina, segundo foi publicado na nova edição da revista Veja.

Leia também:
Comissão aprova projeto que retoma criação de conselhos populares
Michel Temer reforça parceria Brasil-China
Consórcio Move São Paulo suspende obras da Linha 6 do Metrô

Para preencher o posto, foi designada a secretária-geral do Contencioso da AGU Grace Maria Fernandes Mendonça, funcionária de carreira. Pela primeira vez o primeiro escalão do governo Temer será composto por uma mulher. O objetivo da nomeação é contestar as afirmações de que faltam representantes do sexo feminino na Esplanada.

A exoneração foi decidida quinta-feira numa reunião entre Medina e o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, que era o padrinho político do chefe da AGU.

 
Matérias Relacionadas