Curiosidades do genial Leonardo da Vinci – Parte 1

Toda vez que alguém quer contar a história de alguma inovação, quase certamente encontra entre seus escritos e desenhos os conhecidos canhões, aviões, fortificações, helicópteros, etc., com que sonhou o famoso Leonardo da Vinci, nascido em Florença em 1452, morreu aos 64 anos. Ele deixou parte das mais belas obras que ainda hoje provocam espanto no mundo inteiro.

O que se conhece muito pouco é o ofício com o qual, por vezes, ganhava a vida, e pelo qual era apaixonado: o de cozinheiro.

Em 1981, no arquivo da família imperial russa, preservado no Museu Hermitage de São Petersburgo (Leningrado), apareceram alguns cadernos com suas notas de cozinha. Há discussões sobre como foram parar lá, embora se presuma que foram com algumas pinturas do mestre.

Shelag e Jonathan Routh, dois especialistas britânicos na vida e obra de Leonardo, difundiram o chamado Codex Romanov, a partir de uma cópia original feita por um desconhecido Pascuale Pisapia. Seus escritos são pletóricos de humor, e mostram o grande artista cometendo erros como qualquer outro, revelando os bastidores da corte, ou como eram seus hábitos, e os usos e costumes da época.

Aos 17 anos de idade, Leonardo foi discípulo de Verrocchio, escultor, pintor, engenheiro, ourives e matemático de Florença.

Verrochio solicitou a colaboração de Leonardo na pintura “O Batismo de Cristo”, mas Leonardo estava mais entusiasmado com seu trabalho extra como garçom na taverna “Os Três Caracóis”, onde a morte do cozinheiro tinha deixado um posto vago.

Ali era servida grande variedade de pratos de polenta de aveia (não se conhecia o milho), misturada com pedaços de carne irreconhecíveis, mas abundantes.

O jovem Leonardo promovido a chef com grande entusiasmo, colocou mesas pequenas e serviu pequenas porções de pratos sofisticados, com uma apresentação da atual nouvelle cuisine e própria dele e de sua finesse.

Os clientes, acostumados a pratos de guisados toscos e abundantes, ficaram furiosos, e o jovem chef teve de fugir correndo para salvar sua vida, mas ficou com sangue no olho.

Cinco anos depois, um incêndio destruiu a taverna “Os Três Caracóis”. Leonardo imediatamente deixou tudo o que tinha na mão, (inclusive a encomenda de um retábulo para a capela de São Bernardo no Palazzo Vecchio), e se associou com seu amigo Sandro Botticelli para abrir uma pousada que se chamava “A pegada das três rãs”.

Com grande entusiasmo e pressa, improvisaram uma tenda feita de telas grande (várias já pintadas) contrabandeadas do ateliê de Verrocchio.

Eles fracassaram, porque a sociedade se negava a considerar como almoço uma fatia de pão torrado com uma anchova enrolada artisticamente.

 
Matérias Relacionadas