Cultivo de arroz gera discussão devido ao elevado consumo de água

O arroz paddy é o cereal que mais consome água no mundo, embora grande parte do líquido seja reciclado e utilizado para outros fins, segundo pesquisas da FAO.

A água é um produto básico na produção de arroz. Enquanto em outras culturas a água é utilizada principalmente para fins produtivos (transpiração), no caso do arroz, pode ser usada de muitas maneiras.

O arroz precisa de água para a transpiração, infiltração, drenagem, e para a preparação do local. É o único cereal que pode sobreviver a longos períodos de submersão em água. O alongamento do caule do arroz durante a submersão permite que a planta resolva o problema de oxigênio.

Leia também:
A água vai acabar?
A crise da água pelo Brasil
Renomado climatologista desfaz mitos sobre causas da seca

Ao permanecer submerso, ajuda na percolação da água e na recarga de águas subterrâneas. Também trabalha para controlar inundações durante a estação chuvosa e evitar que as ervas daninhas cresçam nos campos de arroz.

Em áreas montanhosas ele é cultivado através do sistema de terraços, o que beneficia os campos impedindo a erosão e os deslizamentos de terra. Outro benefício deste sistema é permitir o controle de inundações e o armazenamento de água.

Devido ao consumo considerável de água, cientistas estão investigando maneiras de cultivar arrozais que consumam menos líquidos. No entanto, a FAO adverte sobre a relação entre água e arroz, dado o número diverso de benefícios que seriam perdidos se fossem aplicadas estas técnicas.

 
Matérias Relacionadas