Crianças com rotina de sono tendem a se comportar melhor

Crianças que possuem horário irregular para dormir são mais propensas a apresentar problemas comportamentais, de acordo com uma nova pesquisa britânica. A falta de uma boa rotina de sono pode atrapalhar os ritmos naturais do corpo, causando privação do sono, prejudicando o desenvolvimento do cérebro e podendo gerar um comportamento disfuncional.

“A sensação constante de fluxo induz a um estado corporal e mental semelhante ao fuso horário, e isso é importante para o desenvolvimento saudável e funcionamento diário”, disse a autora do estudo, a Professora Yvone Kelly.

O estudo analisou os hábitos de sono de 10 mil crianças entre 3 e 7 anos de idade, coletados pelo Millennium Cohot Study do Reino Unido, e encontrou uma ligação significante entre o sono e o comportamento.

A Professora Kelly disse: “O que nós mostramos é que esses efeitos moldam-se gradualmente ao longo da infância, então crianças que sempre tiveram hora para dormir irregular eram piores do que as crianças que têm um horário regular para dormir em uma ou duas das idades que estávamos pesquisando”.

O estudo, publicado na revista Pediatrics, descobriu que uma em cada cinco crianças de três anos de idade possuem horários irregulares. No entanto, até os 7 anos de idade, mais da metade das crianças iam para a cama regularmente entre 19h30 e 20h30.

Em seu estudo de Epidemiologia e Saúde Pública na UCL (University College London), Kelly descobriu que se a hora para dormir torna-se consistente, os efeitos eram revertidos com claras melhorias no comportamento da criança. Por isso, ela recomenda que os prestadores de cuidado de saúde verifiquem as interrupções do sono, como parte dos atendimentos de rotina. “Dada a importância do desenvolvimento da primeira infância sobre a saúde posterior, pode haver repercussões no decorrer de todo curso da vida”.

A treinadora do sono Mandy Gurney, que trabalha na Clínica do Sono em Millpond, concorda que as diferenças entre uma ou duas horas têm um ‘forte impacto’ no comportamento da criança. “Crianças que não dormem bem são mais propensas a exibir coisas como morder, bater, chutar e socar do que crianças que possuem um bom sono”, disse ela.

O crucial para dormir o suficiente é uma boa rotina de sono. Gurney disse que se os pais não tomarem um tempo para relaxar as crianças com uma rotina calma, as crianças podem recuperar o fôlego enquanto estão sendo preparadas para a cama, e podem não parecer cansadas. Fazer bastante exercício, parar a TV meia hora antes de dormir, e restringir a cafeína e açúcar para a parte da manha é também essencial para o sono de uma criança.

Pesquisas anteriores mostraram que crianças que vão dormir após as 21h sofrem com menos sono em comparação com outras que vão para cama antes. A importância do sono no desenvolvimento da criança tem sido entendida apenas nos últimos 10 anos, através de estudos que analisam como a atividade cerebral afeta o aprendizado e a saúde.

Gurney traina enfermeiras para reconhecer a ligação entre as questões comportamentais nas crianças e hábitos de dormir pouco. “As pessoas têm medo de perguntar sobre o sono caso haja algum problema, eles não sabem o que fazer sobre isso. Você não tem tempo para apoiar a pessoa na solução do problema. É por isso que damos o treinamento”, disse Gurney.

A Netmum.com, em associação com o Institute of Health Visiting (IHV), fez uma pesquisa com 800 enfermeiros que trabalham como visitantes de saúde para passar seus conhecimentos sobre o sono. Maggie Fisher, Conselheira Nacional do Sono do IHV, disse que eram poucos os visitantes de saúde que tinham treinamento adequado para lidar com problemas de sono em crianças por culpa dos pais.

 
Matérias Relacionadas