Conversas no Skype são monitoradas na China e Microsoft se mantém em silêncio

Tradução: A mensagem contém caracteres sensíveis!

“O Skype é seguro? O Skype é tão seguro quanto podemos fazê-lo. Quando você faz uma chamada para outra pessoa, sua chamada é fortemente encriptada, assegurando sua privacidade. O mesmo se aplica a seus arquivos compartilhados, conversas e vídeos.”

“O Skype vende minhas informações a terceiros? Para finalizar, o Skype nunca vende os detalhes de seu registro a terceiros.”

Do suporte do Skype (http://support.skype.com/en/faq/FA143/is-skype-secure).

Mas será que o Skype constantemente me espia, censura o que digo ou vende o nome de usuário de minha conta ou detalhes de conteúdos que transmito se forem usadas palavras “sensíveis” e que seriam consideradas inapropriadas pelas autoridades (como, por exemplo: Praça da Paz Celestial, Anistia Internacional, Human Rights Watch, etc.)? Sim, se você estiver na China. Mas isso me afeta se eu estiver num país livre como os EUA? A resposta é igualmente sim, se você estiver se comunicando com um usuário na China.

Jeffrey Knockel, estudante universitário de 27 anos de ciência da computação da Universidade do Novo México, Alburqueque, descobriu um relatório de pesquisa sobre como um parceiro do Skype na China, a TOM Online, tem monitorado usuários chineses e retransmitido informação que diga respeito ao uso de certas palavras-chave para servidores chineses. Só podemos presumir que o regime chinês não encara estes assuntos com leveza.

A TOM-Skype é a versão disponível do Skype na China e é usada por 96 milhões de pessoas. Ela é uma companhia de internet sem fio. Por dois anos, Knockel trabalhou para quebrar a encriptação do Skype e decodificar suas palavras-chave. De acordo com reportagem da Bloomberg, Knockel descobriu que “o aspecto de vigilância presente na TOM-Skype efetua monitoração diretamente no computador do usuário, procurando mensagens que contenham determinadas palavras ou frases. Quando o programa as encontra, ele envia uma cópia desse conteúdo ofensivo para um servidor da TOM-Skype juntamente com o nome do usuário, a hora e a data da transmissão e se a mensagem foi recebida ou enviada pelo usuário.”

Os servidores da TOM-Skype enviam listas de palavra-chave para o computador de todos os usuários. As palavras-chave, baseadas na data e relevância, mudam continuamente. Algumas palavras-chave, por exemplo, relacionadas a protestos, são muito especificas e incluem o endereço e a hora, afirma Crete-Nishihata, do Laboratório Cidadão, que ajudou a analisar a informação.

Quando a Bloomberg requisitou comentários da Microsoft sobre as descobertas de Knockel e a preocupação de outros ativistas, a Microsoft emitiu uma declaração atribuída a um porta-voz anônimo de sua unidade do Skype: “O Skype está comprometido em continuar a melhorar a transparência para o usuário onde quer que nosso software seja usado.” Quanto à TOM Online, a Microsoft afirmou: “…Como parceiro majoritário deste empreendimento conjunto, a TOM estabeleceu procedimentos que satisfazem suas obrigações à lei local.”

A TOM Online e a TOM-Skype comprovadamente têm enviado informação pessoal de seus usuários para as autoridades chinesas há algum tempo, segundo uma investigação de Nart Villeneuve, de 2008. Quando questionados para darem esclarecimentos, a porta-voz Jennifer Caukin, do eBay (empresa proprietária do Skype na época), respondeu: “Isso existe numa camada administrativa dos servidores da Tom Online. Expressamos nossas preocupações à Tom Online sobre o problema de segurança e eles nos informaram que resolverão o problema num prazo de 24 horas.”

Sobre outros riscos de segurança envolvendo o Skype. Para mais informação sobre a pesquisa de Knoeckel visite este website.

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas