Contrato de satélite em Taiwan torna-se luta pela liberdade

Ch’en Hsiao-i, chefe da Associação Taiwanesa de Jornalistas, disse que a NTDTV é uma estação com “coragem”, numa entrevista com a emissora em 10 de maio (NTDTV)

Tem havido uma onda de apoio em Taiwan nas últimas semanas, desde políticos a outras figuras públicas, pela renovação de um contrato de satélite entre a ‘New Tang Dynasty Television’ (NTDTV), uma emissora independente, e a Chunghwa Telecom, a maior empresa de telecomunicações de Taiwan, na qual o governo de Taiwan tem uma grande participação.

Enquanto a presença da República Popular da China continua a lançar sombras crescentes sobre a pequena ilha de apenas 23 milhões, a assinatura do presente contrato tem sido imbuída de um significado extra para jornalistas e políticos, uma vez que isso demonstraria que as instituições de Taiwan ainda são capazes de defender os valores fundamentais de sua democracia, como a liberdade de imprensa, em face de abertura econômica à China comunista.

A NTDTV é uma emissora independente de língua chinesa com sede em Nova York cujo emblema é a reportagem ousada em questões como a perseguição ao Falun Gong, os direitos humanos em geral, a corrupção e as maquinações políticas que caracterizam o regime de partido-único, o que tem atraído a ira do autoritário regime chinês. Por meio do satélite da Chunghwa, a NTDTV é capaz de atingir os espectadores no continente, bem como em Taiwan e outros países da Ásia.

Oficiais da propaganda na China continental tentaram por anos interferir com a transmissão da estação, incluindo um caso amplamente divulgado envolvendo o satélite da empresa francesa Eutelsat.

O contrato entre a Chunghwa e a NTDTV expira em agosto.

A controvérsia atual é uma reprise de eventos de dois anos atrás. Em abril de 2011, a Chunghwa anunciou que não renovaria seu contrato com a NTDTV, mas depois de uma campanha de apoio, em agosto, a empresa renovou o contrato por dois anos.

Os Repórteres Sem Fronteiras disseram na época que as razões para o cancelamento “estavam em outro lugar” e não nas justificações técnicas primeiramente alegadas. A Chunghwa não respondeu aos telefonemas e e-mails solicitando comentário.

Como o prazo se aproxima neste momento, a Chunghwa não indicou se pretende renovar o contrato, que está sendo negociado entre a Chunghwa e a divisão da Ásia-Pacífico da NTDTV, a NTD-AP.

Em 2 de maio, o Legislativo Yuan solicitou que a Comissão Nacional de Comunicações (CNC) “ajudasse a completar o processo de renovação de acordo com a lei”.

Hu Yuan-hui, presidente da Fundação de Premiação pela Excelência no Jornalismo, fala com a NTDTV em Taiwan em 10 de maio. Ele apoia a renovação do contrato da NTDTV com a Chunghwa (NTDTV)

Dias mais tarde, Lee Kunze, membro da comissão, em 6 de maio, disse que todos os membros do Legislativo Yuan assistiam  à programação da NTD.

“Nos últimos anos, a NTD se tornou uma importante fonte de notícias do mundo chinês”, disse Lee Kunze. “Não podemos deixá-la desaparecer.”

Ele acrescentou que a CNC deve investigar o que está acontecendo na Chunghwa Telecom, que parece estar atrasando a conclusão de uma nova concessão para o satélite ST2.

“Não queremos a supressão da liberdade de imprensa em Taiwan novamente e não permitiremos que tal situação volte a acontecer”, disse ele à emissora.

A Chunghwa tem interesses comerciais na China continental e os críticos em Taiwan suspeitam que o atraso é devido a Chunghwa não querer prejudicar seus interesses comerciais no continente. Se ela não mais contratar com a NTD, a Chunghwa poderia receber uma fatia maior dos negócios na China, onde ela está envolvida numa joint venture com a empresa estatal China Telecom.

Devido aos atrasos atuais na renovação do contrato, a NTD e seus apoiadores em Taiwan tentam colocar a Chunghwa sob o mesmo escrutínio público que foi bem sucedido em 2011.

Aqueles em Taiwan interessados na liberdade da informação começaram a falar sobre o caso, oferecendo seu apoio à NTD.

Shin Shih-min, presidente-fundador da União de Proteção Ambiental de Taiwan, disse: “A NTD é uma líder da democratização na China.”

Hu Yuan-hui, presidente da Fundação de Premiação pela Excelência no Jornalismo, uma organização taiwanesa sem fins lucrativos, disse: “A NTD é uma estação com convicção e que continua a expor a verdade. As autoridades competentes devem absolutamente se posicionar e prestar atenção a essa questão.”

Ecoando suas observações estava a presidente da Associação de Jornalistas de Taiwan, Ch’en Hsiao-i, que disse que a NTD é “a mais disposta a desafiar o governo chinês”. Ela também disse que a NTD era honesta sobre as maneiras como a mídia de Taiwan é tímida em relação à China. “A NTD tem coragem”, disse Ch’en. Tanto Hu Yuan-hui como Ch’en Hsiao-i foram entrevistados pela NTD.

Tsai Huang-lang, legislador do Partido Democrático Progressista (PDP), disse: “A NTD expõe muitos aspectos do lado escuro do Partido Comunista Chinês, incluindo a destruição dos direitos humanos. Grande parte disso não encontramos em outras mídias. Além disse, ela também reflete substancialmente os valores da mídia livre de Taiwan. Essa é a razão pela qual amamos a NTD.”

Ele acrescentou que a NTD, como uma emissora de notícias chinesa, já está “profundamente enraizada no coração das pessoas”.

Uma série de observações semelhantes veio do Kuomintang, partido do atual presidente Ma Ying-jeou, e de outros legisladores do PDP.

O diretor cinematográfico Chen Keshang disse: “Se esse tipo de mídia independente desaparece, seria uma ocorrência muito infeliz.” E acrescentou: “Muitas de nossas mídias não são sérias, mas a NTDTV, para mim, é uma mídia muito séria. Portanto, eu desejo fortemente que ela possa continuar.”

Epoch Times publica em 35 países em 21 idiomas.

Siga-nos no Facebook: https://www.facebook.com/EpochTimesPT

Siga-nos no Twitter: @EpochTimesPT

 
Matérias Relacionadas