Contrastes entre detenção da CFO da Huawei e canadenses detidos na China

Por Reuters

TORONTO – A vice-presidente financeira da Huawei, Meng Wanzhou, descreveu sua prisão domiciliar em Vancouver como “restrita a um espaço limitado”, mesmo tendo passado seis meses em uma casa canadense de seis quartos e vários milhões de dólares.

Meng, de 47 anos, tem acesso aos melhores advogados, circula de forma relativamente livre em Vancouver, embora com restrições, e seus comentários fizeram uma comparação imediata entre sua vida em prisão domiciliar e os dois canadenses detidos em confinamento solitário na China por um período similar.

Filha do bilionário fundador da Huawei Technologies Co, Ren Zhengfei, Meng foi presa no aeroporto de Vancouver, em dezembro, devido a um mandado dos Estados Unidos e está lutando contra a extradição por ter conspirado para fraudar bancos globais sobre o relacionamento da Huawei com uma empresa que opera no Irã.

A chefe financeira da Huawei, Meng Wanzhou, deixa a casa de sua família em Vancouver, British Columbia, Canadá, em 8 de maio de 2019 (Lindsey Wasson / Reuters)

O empresário Michael Spavor, que trabalhava com a Coreia do Norte, e o ex-diplomata Michael Kovrig, foram apanhados separadamente em dezembro, pouco depois de o Canadá prender Meng. Ambos foram formalmente presos no início do mês por acusações secretas do Estado, mas não ficou claro se eles foram transferidos para outra instituição onde poderiam receber melhor tratamento.

“A diferença entre os termos de detenção da madame Meng e dos dois canadenses vai sair da página”, disse Paul Evans, professor da Universidade da Columbia Britânica, especialista em relações com a China e o Canadá.

Ele acrescentou que o contraste poderia irritar os canadenses que comparam as condições de Meng com as de Kovrig e Spavor.

Os dois canadenses não têm acesso a advogados ou fiança, são interrogados todas as manhãs, tarde e noite, e são mantidos em uma sala onde as luzes não podem ser desligadas à noite, de acordo com diplomatas canadenses. A China disse apenas que os direitos legais dos dois homens estão sendo totalmente garantidos.

Maior Mansão 

Enquanto isso, Meng morava em sua casa de 5,6 milhões de dólares australianos (US$ 4,2 milhões) em Vancouver, que tem seis quartos e cinco banheiros, depois de pagar uma fiança de 10 milhões de dólares em dezembro.

A casa da família do chefe financeiro da Huawei, Meng Wanzhou, no bairro de Dunbar em Vancouver, Colúmbia Britânica, Canadá, em 28 de janeiro de 2019 (Ben Nelms / Reuters)

“Apesar de estar fisicamente restrita a um espaço muito limitado durante meu tempo em Vancouver, o meu eu interior nunca se sentiu tão colorido e vasto”, escreveu Meng na carta publicada em 13 de maio na Comunidade Xinsheng, um fórum interno para os 188.000 funcionários da Huawei.

Ela elogiou os funcionários por sua preocupação e disse que havia funcionários “ficando acordados a noite toda apenas para acompanhar meu caso em fusos horários distantes”.

No início deste mês, um juiz da Suprema Corte da Colúmbia Britânica aceitou o pedido de Meng para mudar para uma casa maior, de 13,3 milhões de dólares, em um dos bairros mais exclusivos do Canadá. Os advogados de Meng disseram no tribunal que a casa estaria pronta em 11 de maio, após o trabalho de renovação, mas não ficou claro se Meng já se mudou.

“De um lugar chique para um bairro mais requintado”, disse Evans.

Meng chegou para a última audiência em um veículo utilitário esportivo da Chevrolet vestindo um elegante vestido preto e cinza.

Mas, no caso dos dois canadenses, nem ficou claro onde eles foram detidos. Os diplomatas que os encontraram foram levados para uma delegacia de polícia e autorizados a encontrá-los lá, em vez de serem levados para o local real de sua detenção.

Uma casa na Matthews Avenue no bairro de Shaugnessy, propriedade da família do CFO da Huawei Meng Wanzhou, é vista no processo de renovação em Vancouver, British Columbia, Canadá, em 8 de dezembro de 201859 (David Ryder / Reuters)

O Luxmore Realty detalha a nova residência da Meng, Matthews Street, como uma casa de 870 m², com sete quartos e oito banheiros. A mansão maior de Meng está totalmente vedada, o que melhora a segurança, disse Scot Filer, CEO da Lions Gate, empresa de segurança da Meng, em um processo judicial.

A casa possui “acesso controlado para pedestres e veículos” e tem clara distinção entre espaço público e espaço privado, que Filer cita como as razões para a mudança de Meng para a nova casa, que fica perto da embaixada chinesa.

Os tribunais da China são rigidamente controlados pelo Partido Comunista e servem aos seus objetivos políticos. Sob as leis chinesas, suspeitos de crimes como Kovrig e Spavor são acusados de serem mantidos basicamente incomunicáveis sem acusação por seis meses e pode ser mais de um ano depois que as acusações são apresentadas para que o caso vá a tribunal.

Por Tyler Choi

 
Matérias Relacionadas