Contrariando retórica anti-Trump, mídia estatal chinesa quer que ele ganhe Prêmio Nobel da Paz

Por Sunny Chao, Epoch Times

A mídia estatal da China tem criticado repetidamente o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, desde que ele anunciou a imposição de tarifas comerciais sobre produtos chineses, provocando tensões comerciais. No entanto, uma publicação estatal deu uma volta de 180 graus, mudando completamente a sua retórica.

The Paper, jornal estatal com sede em Xangai, publicou um editorial em 1º de maio dizendo que o presidente Trump deve receber o Prêmio Nobel da Paz por promover as negociações que levaram a Coreia do Norte a prometer sua desnuclearização.

Em uma reportagem separada publicada no mesmo dia, The Paper mencionou que o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, disse em uma reunião do gabinete: “O presidente Trump deve receber o Prêmio Nobel da Paz. O que precisamos é de paz”.

Em 27 de abril, Moon se reuniu com o líder norte-coreano Kim Jong-un na Zona Desmilitarizada de Panmunjom, onde os dois assinaram um acordo histórico, a Declaração de Panmunjom, para acabar com a Guerra das Coreias e para firmar o compromisso da “completa desnuclearização” da Coreia do Norte.

O comentarista de assuntos da atualidade,Tang Jingyuan, analisou as intenções de Pequim por trás dessa cobertura positiva. Ele disse ao Epoch Times que, enquanto uma delegação dos Estados Unidos está se preparando para visitar a China em 3 e 4 de maio para discutir o relacionamento comercial, Pequim está nervoso. “Se a China e os Estados Unidos chegarem a um acordo, isso afetará não somente a economia dos dois países, mas igualmente a direção seguida pelo comércio mundial no futuro”, disse ele. “Vemos que Pequim fez algo para expressar sua suposta boa vontade em pavimentar o caminho para a realização dessa reunião”.

Imagem aérea mostra veículos estacionados próximo de conteineres de embarque da Ocean Network PTE. em um porto em Xangai, na China, em 30 de abril de 2018 (Qilai Shen/Bloomberg/Getty Images)
Imagem aérea mostra veículos estacionados próximo de contêineres de embarque da Ocean Network PTE. em um porto em Xangai, na China, em 30 de abril de 2018 (Qilai Shen/Bloomberg/Getty Images)

Colaborou: Luo Ya

 
Matérias Relacionadas