Consultor de segurança de Biden diz que não foi um erro chamar Putin de assassino

Por Zachary Stieber

O presidente Joe Biden não cometeu um erro ao descrever o presidente russo, Vladimir Putin, como um assassino, disse um conselheiro na segunda-feira.

“Foi feita uma pergunta direta ao presidente Biden. Ele deu uma resposta direta. É assim que ele opera há mais de 40 anos no serviço público e é assim que continuará a operar como presidente ”, disse o conselheiro de segurança nacional Jake Sullivan durante uma aparição no MSNBC.

No início deste mês, Biden foi questionado durante uma entrevista com o apresentador da ABC George Stephanopoulos, que costumava ser um assessor no governo do ex-presidente democrata Bill Clinton, se ele concordava que Putin era um “assassino”.

“Sim, eu concordo”, Biden respondeu.

Biden também prometeu que Putin “pagaria um preço” por  supostamente interferir  nas eleições de 2020.

Putin respondeu desafiando seu homólogo a um debate ao vivo, mas a Casa Branca rejeitou o desafio.

Na terça-feira, autoridades russas e chinesas se reuniram e criticaram os Estados Unidos por agir de uma forma que a Rússia descreveu como destrutiva.

Nesta fotografia disponibilizada em 21 de março de 2021, o presidente russo Vladimir Putin olha para um fotógrafo em uma floresta de taiga na região siberiana da Rússia (Alexei Druzhinin, Sputnik, Kremlin Pool Photo via AP)

Sullivan disse que a relação EUA-Rússia incluirá uma resposta enérgica em algumas questões, mas trabalhando juntos em outras.

“Acreditamos que teremos dias difíceis com a Rússia porque há questões sobre as quais discordamos profundamente e ações às quais precisamos responder com firmeza”, disse ele. “Mas também acreditamos que podemos trabalhar com a Rússia em questões-chave, incluindo a questão nuclear, onde apenas nas últimas semanas estendemos o novo acordo START em cinco anos.”

Os Estados Unidos  prorrogaram o tratado START de armas nucleares em fevereiro por cinco anos. O pacto limita o número de ogivas nucleares estratégicas, mísseis e bombardeiros em poder de cada nação.

“Haverá desafios significativos. Exigirá que a América defenda seus interesses, mas também há áreas em que os Estados Unidos e a Rússia podem trabalhar juntos de maneira estável e previsível, no interesse comum de ambos os nossos países ”.

A aparição ocorreu ao mesmo tempo em que o ex-presidente Donald Trump, em uma entrevista transmitida pela Newsmax, agrediu o governo Biden por causa do aumento dos preços do gás.

“Os preços da gasolina estão subindo como ninguém imaginava que seria possível. Eles estavam caindo, eles estavam em um nível que nunca tinham visto antes e agora estão subindo. Estamos tornando a Rússia e a Arábia Saudita e todos os países do Oriente Médio e outros – e, é claro, a empresa Burisma – estamos tornando-os ricos e nos tornando cada vez menos independentes de energia ”, disse ele. “Em três ou quatro meses, não seremos independentes de energia. É uma coisa muito, muito triste ”, disse Trump.

Siga Zachary no Twitter: @zackstieber
Siga Zachary no Parler: @zackstieber
 
Matérias Relacionadas