Conservadores pedem a Ottawa que declare a repressão de Pequim à Uigures como um ‘genocídio’

Por Omid Ghoreishi

O Partido Conservador está pedindo a Ottawa que reconheça que Pequim está cometendo “genocídio” contra os muçulmanos uigures na China e que tome medidas coordenadas com os aliados para impedir isso.

“Esses atos de genocídio incluem controle populacional sistemático, violência sexual e detenção em massa”, disse Michael Chong, ministro conservador das Relações Exteriores, e Garnett Genuis, ministro conservador  dos direitos humanos, em um comunicado.

A declaração acrescentou que os abusos da China contra uigures e outros muçulmanos turcos “são indicativos do desrespeito crescente do governo da China pelos direitos humanos e pela lei internacional, incluindo em Hong Kong, bem como com tibetanos, praticantes do Falun Gong, cristãos e outros grupos étnicos além de minorias religiosas. ”

Os conservadores observaram que os Estados Unidos já reconheceram a repressão de Pequim aos uigures como um genocídio e instaram o governo liberal a seguir o exemplo e incentivar outros aliados a fazerem o mesmo.

“Pedimos ao governo que trabalhe com os aliados, incluindo os Estados Unidos, para tomar uma ação coordenada em resposta a este genocídio”, disse o comunicado.

Em 19 de janeiro, o então secretário de estado Mike Pompeo anunciou que os Estados Unidos haviam determinado que o Partido Comunista Chinês (PCC) cometeu “genocídio” e “crimes contra a humanidade” contra os uigures na região de Xinjiang.

“Após um exame cuidadoso dos fatos disponíveis, determinei que a RPC [República Popular da China], sob a direção e controle do PCC, cometeu genocídio contra os uigures predominantemente muçulmanos e outros grupos étnicos e religiosos minoritários em Xinjiang”, Pompeo disse em um comunicado.

O sucessor de Pompeo sob o governo Biden, Antony Blinken, disse que concorda com a declaração de Pompeo.

Em outubro, a subcomissão parlamentar de direitos humanos internacionais disse que as ações de Pequim “constituem um genocídio conforme estabelecido na Convenção do Genocídio”.

Genuis disse que seu partido “fará todo o possível para que o Parlamento reconheça e responda oficialmente” ao genocídio uigur.

Na semana passada, o governo liberal emitiu um comunicado notificando as empresas canadenses sobre os riscos legais e de reputação ao fazer negócios com entidades cúmplices de violações dos direitos humanos em Xinjiang.

“O Governo do Canadá está profundamente preocupado com relatos e evidências documentais da repressão aos uigures e outras minorias étnicas pelas autoridades chinesas na XUAR [Região Autônoma Uigur de Xinjiang] com base em sua religião e etnia sob o pretexto de combater o ‘terrorismo’ e ‘extremismo religioso’ ”, declarou o conselho.

Siga Omid no Twitter: @OGhoreishi
 
Matérias Relacionadas