Publicado em - Atualizado em 14/07/2017 às 8:54

Conselho de Ética acolhe denúncia contra senadoras que ocuparam plenário

Senador denunciou colegas "invasoras" ao conselho de ética, alegando quebra de decoro parlamentar; elas poderão ser punidas com advertência ou censura

Senadora Fátima Bezerra (de preto, ao centro) (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Senadora Fátima Bezerra (de preto, ao centro) (Antonio Cruz/Agência Brasil)

O presidente do Conselho de Ética do Senado, senador João Alberto de Souza, aceitou na tarde de quarta-feira (12) denúncia contra as senadoras que se apossaram da Mesa do Senado na tentativa de obstruir a votação da reforma trabalhista. O senador José Medeiros (PSD-MT) solicitou que seja dado início ao processo disciplinar contra Gleisi Hofmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Fátima Bezerra (PT-RN), Regina Souza (PT-PI), Ângela Portela (PDT-RR) e Lídice da Mata (PSD-BA).

Quem protocoulou, no Conselho de Ética da casa, no final da tarde de terça-feira (11), uma representação por “quebra de decoro” contra os parlamentares que tomaram conta do Plenário para fazer um protesto contrário à reforma trabalhista foi o senador José Medeiros.

Na denúncia, Medeiros argumenta que Fátima Bezerra deu início à sessão e permaneceu no assento à força. Ela teve a adesão de outros oposicionistas, como a peemedebista Katia Abreu.

“[…] parlamentares contrários ao projeto se recusaram a desocupar os lugares reservados aos membros da Mesa Diretora e a deixar a presidência da sessão, em inescusável abuso de suas prerrogativas constitucionais”, alega o senador, como mostra uma passagem do documento que transcrevemos abaixo:

Leia também:
Empresários elogiam aprovação da reforma trabalhista
Eleições 2018: Jair Bolsonaro lidera no Rio, aponta pesquisa
DO publica nomeação de Raquel Dodge como procuradora-geral da República

Todo conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada. Para reproduzir a matéria, é necessário apenas dar crédito ao Epoch Times em Português e para o repórter da matéria.
Leia a diferença. Epoch Times Todos os direitos reservados © 2000-2016